"Devido a manifestações e barricadas em vários pontos de Bissau, aconselha-se a maior prudência nas deslocações dentro da cidade, recomendando-se que se restrinja a circulação ao estritamente necessário até que a situação se encontre normalizada", pode ler-se numa mensagem publicada na página do Facebook da embaixada de Portugal na Guiné-Bissau.

Na mensagem, a embaixada de Portugal informa que vai continuar a acompanhar a situação e que vai atualizando a informação, pedindo que em caso de urgência os cidadãos portugueses liguem para o número 00 245 966990029.

Um protesto de alunos realizado hoje em Bissau culminou com o corte de várias estradas e avenidas com pneus a arder, impedindo a circulação de viaturas na cidade, bem como a destruição de viaturas e outros bens.

Segundo a Polícia de Ordem Pública guineense, foram detidas 20 pessoas e três polícias ficaram feridos.

No protesto os alunos gritam frases como: "Paguem os nossos professores, queremos ter aulas".
Os três sindicatos iniciam segunda-feira mais um período de greve de 30 dias para reclamar os pagamentos de salários e subsídios em atraso em há vários anos e aplicação do Estatuto de Carreira Docente.

Os professores guineenses estiveram em greve entre outubro e janeiro e os alunos das escolas públicas não tiveram aulas durante todo o primeiro período do ano letivo.

Os protestos levaram hoje ao cancelamento de uma série de atividades oficiais.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.