Num discurso em Istambul transmitido pela televisão turca, Erdogan, cujas relações com Bruxelas atravessam momentos de tensão devido às críticas europeias à repressão que seguiu à tentativa de golpe de 15 de julho, lamentou que “a UE insista em dificultar as negociações de adesão” e insulte a Turquia.

“Apesar disso, nós ainda não fechámos o livro UE”, disse.

O presidente turco, que em outras ocasiões referiu a possibilidade de “trocar” a adesão à UE pela entrada na Organização da Cooperação de Xangai, uma união económica e de segurança liderada pela Rússia e pela China, sublinhou que a Turquia tem “numerosas alternativas” à UE e já iniciou contactos.

Na semana passada, depois de o Parlamento Europeu ter aprovado o congelamento das negociações de adesão da Turquia dada a “repressão desproporcionada”, Erdogan voltou a ameaçar romper o acordo sobre migrações assinado em março com a UE.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.