Segundo a Agência de Desastres Meteorológicos filipina, o tufão Noru (Karding, nas Filipinas) entrou na categoria de “supertufão”, após um período de “intensificação explosiva”, com ventos de até 185 quilómetros por hora.

Espera-se que o supertufão — o décimo primeiro do ano — provoque chuvas torrenciais e ventos fortes na região de Luzon Central, no norte de Manila, que também se prepara para ser atingida pelos efeitos do Noru.

A previsão é que o tufão chegue a terra esta tarde na parte norte da província de Quezon, em Calabarzon, ou pelo sul da contígua província de Aurora, situadas na mesma região de Luzón Central, segundo a PAGASA, a Administração de Serviços Atmosféricos, Geofísicos e Astronómicos das Filipinas.

Este serviço havia dito anteriormente que poderia chegar a terra pelas ilhas Polillo, também na província de Quezon, depois do meio-dia.

Noru é o 11.º ciclone tropical que atinge as Filipinas este ano e espera-se que provoque chuvas torrenciais na zona da capital de províncias vizinhas.

“Felizmente, este tufão move-se rápido, apesar de gerar ventos fortes”, disse o porta-voz da Agência Nacional de Desastres, Bernardo Rafaelito Alejandro, ao Canal News Asia.

As autoridades alertaram para possíveis deslizamentos de terra, inundações e ventos destrutivos, enquanto a guarda costeira filipina apontou que mais de 1.200 passageiros e 28 barcos foram parados em portos do sul da capital.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.