Imagens partilhadas nas redes sociais mostram o músico e ex-ministro da Cultura de Lula da Silva, de 80 anos, acompanhado pela mulher, Flora Gil, a serem abordados por adeptos que o insultaram e gritaram, entre outras coisas, por "Bolsonaro".

O caso aconteceu na última quinta-feira quando Gil e a mulher caminhavam em direção às bancadas do estádio para ver o jogo entre o Brasil e a Sérvia no Mundial 2022,

Várias figuras públicas do Brasil revelaram-se solidários com a voz de "Aquele Abraço", nomeadamente os cantores Caetano Veloso e Daniela Mercury que exigem que "os criminosos sejam punidos".

A mulher de Lula da Silva, Janja, também recorreu às redes sociais para dizer que o presidente-eleito e ela própria ligaram ao músico a manifestar a "solidariedade e indignação pela agressão sofrida no Qatar".

O cantor brasileiro Gilberto Gil agradeceu, este domingo, por todo o apoio que ele e a mulher têm recebido.

Através do Instagram, o artista agradeceu as inúmeras declarações de apoio que recebeu, pediu um "Brasil sem ódio" e classificou os ataques de que foi alvo como "agressão estúpida". "Os nossos agradecimentos, meu e da Flora, por essa solidariedade diante dessa agressão, dessa coisa estúpida", disse.

O cantor terminou a declaração desejando "um bom jogo para o Brasil amanhã".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.