O aumento mensal de primeiros requerimentos de proteção internacional de ucranianos (de 2.370 em fevereiro para 12.875 em março) é de 443%, devido à guerra entre a Rússia e a Ucrânia.

De acordo com os dados hoje divulgados pelo serviço estatístico da UE, no total, os 73.850 novos pedidos de asilo apresentados em março comparam-se com os 34.310 do mesmo mês de 2021 e os de fevereiro (54.565).

Estes números estão, no entanto, ainda longe do máximo de outubro de 2015 (162.020), devido à guerra na Síria.

Em março, os ucranianos eram o maior grupo de requerentes de asilo pela primeira vez (12.875), seguindo-se os afegãos (7.770), os sírios (7.320), os venezuelanos (4.705) e os colombianos (3.565).

A ofensiva militar russa na Ucrânia, desde 24 de fevereiro, causou já a fuga de mais de 15 milhões de pessoas de suas casas — mais de oito milhões de deslocados internos e mais de 7,7 milhões para os países vizinhos -, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.