As baterias antiaéreas, geralmente estacionadas na Alemanha, foram reposicionadas a pedido do Governo polaco, explicou esta fonte do Pentágono.

“As duas baterias Patriot agora estão reposicionadas na Polónia. Nós não diremos onde estão, mas estão na Polónia e estão ativas”, garantiu a fonte, referindo-se às armas capazes de combater e destruir mísseis balísticos, aeronaves ou mísseis de cruzeiro, que são frequentes vezes utilizadas no Médio Oriente.

“Este é um destacamento puramente defensivo, realizado de forma preventiva para combater qualquer ameaça potencial contra nós ou contra forças aliadas”, explicou o alto funcionário, lembrando o compromisso do Presidente Joe Biden de respeitar o artigo 5 da carta da Aliança Atlântica, que obriga todos os seus membros a socorrer um aliado no caso de ataque.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que, segundo as autoridades de Kiev, já fez mais de 2.000 mortos entre a população civil.

Os ataques provocaram também a fuga de cerca de dois milhões de pessoas para os países vizinhos, de acordo com a ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.