A praça e as avenidas circundantes encheram-se de manifestantes com bandeiras, enquanto as forças de segurança reforçavam as barricadas em duas pontes que levam à Zona Verde, a sede do Governo, segundo relatou a Associated Press.

As manifestações no Iraque começaram no dia 01 de outubro para pedir a “queda do regime”, quando se assinala o primeiro ano do novo executivo iraquiano, que implementou uma série de reformas económicas alvo de contestação.

Mais de 200 pessoas já terão morrido nos protestos.

Hoje, pelo menos 350 pessoas ficaram feridas quando as forças de segurança dispararam granadas de gás lacrimogéneo e balas de borracha para afastar os manifestantes das pontes.

A contestação decorreu até agora em duas fases. A primeira, entre 01 e 06 de outubro provocou, segundo números oficiais, 157 mortos, quase todos manifestantes.

A segunda começou na quinta-feira à noite, após uma interrupção de 18 dias, por ocasião de uma importante peregrinação xiita e fez, até agora, 82 mortos, de acordo com um balanço da comissão governamental de direitos humanos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.