Nas últimas 24 horas, foram registados nos Estados Unidos da América 740 óbitos, atingindo um total de 116.963, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Assim, a taxa de mortalidade desde o início da pandemia no país excedeu a de 116.500 soldados norte-americanos mortos durante a I Grande Guerra, segundo dados do Departamento de Assuntos dos Veteranos dos Estados Unidos.

O número de falecidos no país já havia excedido em abril a de militares americanos que perderam a vida em duas décadas da Guerra do Vietname, uma marca de grande importância simbólica por este ter sido um dos momentos que mais marcaram a história dos Estados Unidos no século XX.

Em termos absolutos, a maior potência económica do mundo é a mais afetada pela pandemia, tanto em número de mortes quanto em casos notificados, com 2,13 milhões de infeções.

O país teve os seus menores registos diários desde o final de março, no domingo e segunda-feira, com cerca de 380 falecidos em ambos os dias.

No entanto, a redução é provavelmente atribuída a uma queda relacionada com a transmissão de dados pelas autoridades locais, observada nos fins de semana.

Embora a marca de de mil mortes raramente tenha sido superada desde o início de junho, cerca de 20 mil novos casos ainda são registados todos os dias nos Estados Unidos, um número que é mantido há semanas.

A primeira onda da epidemia da COVID-19, que começou em Nova Iorque e no nordeste do país, continua no sul e oeste.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.