“Faremos tudo, na crise profunda que atravessam, para ajudar os nossos amigos libaneses e libanesas”, disse Macron à margem de uma visita a Jerusalém, no dia em que se realiza o primeiro conselho de ministros do novo governo libanês.

O Presidente francês disse também que vai estar atento a “atividades terroristas” no Líbano que ameacem não apenas os libaneses como Israel, país vizinho em conflito com o movimento xiita libanês Hezbollah.

O Líbano é palco desde 17 de outubro de uma contestação sem precedentes dirigida contra a classe política considerada corrupta e incapaz de tirar o país da crise económica.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.