O incidente que teve lugar esta quarta-feira de manhã nas instalações da empresa na Maia, Porto, fez três feridos ligeiros, assistidos no local. As primeiras informações davam conta de cinco feridos, o que não se veio a verificar.

Em declarações à Lusa, Paulo Gonçalves, assessor da Porto Editora, explicou que pelas 11:05 de hoje uma “pequena parte do teto da nave central da gráfica do edifício na Porto Editora na Maia ruiu”, provocando três feridos ligeiros que, depois de assistidos no local, pelo INEM, tiveram alta.

Tantos os três feridos, como os restantes trabalhadores da editora, 150 ao todo, foram reencaminhados para casa.

Neste momento, a Proteção Civil está a tentar perceber as causas do incidente que resultou num abatimento da nave central.

A causa da queda de parte do teto “ainda se desconhece, mas coincidiu com fenómeno climatérico extremo”, acrescentou Paulo Gonçalves, referindo todavia, que o edifício é “moderno”, está em “excelentes condições” e tem vistorias de manutenção todas as semanas”.

“Nada faria esperar esta situação”, frisou, afirmando que os prejuízos são “avultados”, porque o teto caiu em cima de máquinas de impressão de grande produção gráfica.

“Retomaremos os trabalhos única e exclusivamente quando as condições de segurança e de trabalho estiveram asseguradas”, assegurou Paulo Gonçalves.

A Proteção Civil foi ao local para avaliar os estragos, disse ainda a mesma fonte.

Fonte do Comando Distrital de Operação de Socorros (CDOS) do Porto disse à Lusa que durante a manhã de hoje, devido ao mau tempo, registaram-se “várias dezenas” de ocorrências como inundações, quedas de árvores e quedas de chapas das fachadas de habitações, designadamente na Avenida da Boavista.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje no continente céu geralmente muito nublado, períodos de chuva, por vezes forte, passando gradualmente a regime de aguaceiros a partir da tarde, e que poderão ser por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoada.

Está também prevista queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela, descendo gradualmente a cota para 1000/1200 metros.

A previsão aponta ainda para vento moderado a forte do quadrante sul, soprando temporariamente com rajadas até 90 quilómetros por hora, em especial no litoral, e sendo forte nas terras altas, com rajadas até 110 quilómetros por hora, rodando para o quadrante oeste a partir da tarde e pequena descida da temperatura máxima.

As temperaturas mínimas vão variar entre os 04 graus (na Guarda) e os 12 (em faro, Santarém e Lisboa) e as máximas entre os 10 graus Celsius (na Guarda) e os 17 (em Faro e Santarém).

Por causa da agitação marítima, o IPMA colocou hoje toda a costa portuguesa sob aviso amarelo até sexta-feira.

O IPMA prevê ondas de oeste com 04 a 05 metros, passando gradualmente a ondas de noroeste.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.