“A fim de fornecer serviços de saúde de qualidade e alcançar a cobertura universal de saúde, a nutrição deve ser posicionada como uma das pedras angulares da saúde”, assinala a OMS no documento que foi hoje publicado.

A OMS recomenda que os serviços de saúde estejam prontos para garantir uma nutrição adequada em cada estágio da vida, com dietas saudáveis, o que poderia salvar 3,7 milhões de pessoas até 2025.

Como intervenções nutricionais adequadas a cada etapa da vida, a OMS dá o exemplo de fornecimento de suplementos de ferro e ácido fólico no tratamento pré-natal, a promoção da amamentação, limitar a ingestão de açúcares em adultos e crianças e reduzir o consumo de sal, de forma a contribuir para a diminuição de doenças cérebro e cardiovasculares.

Enquanto se assistiu a uma diminuição da prevalência das crianças com problemas de crescimento entre 1990 para 2018, a obesidade infantil aumentou, com o excesso de peso a aumentar de 4,5% em 1990 para 5,9% no ano passado.

Dados de 2016 estimam que haja 1,3 mil milhões de pessoas com excesso de peso, sendo que 650 milhões são obesos (13% da população mundial).

A OMS recorda que a obesidade é o fator de risco principal para várias doenças, como diabetes, doenças cardiovasculares e alguns cancros.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.