No total foi referenciada a detenção de 11.041 pessoas e confirmados 856 atos de pilhagem de estabelecimentos comerciais, acrescentou a MVT.

Aquela ONG salienta que 2016 foi um ano de “grande conflituosidade social” e que as detenções ocorreram principalmente em filas de supermercados e farmácias.

“Há um padrão de criminalização do consumidor e o principal argumento das forças de segurança para efetuar as detenções tem a ver com o pernoitar (junto dos supermercados e farmácias), e os meses mais conflituosos foram março e julho”, explicou Manuel Virgüez, diretor da MVT.

Aquele responsável adiantou que 90% dos detidos foi libertada pela Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar) após entre cinco a seis horas de detenção, mas os restantes foram acusados de crimes como boicote, obstrução de venda, intimidação pública e resistência à autoridade.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.