Num debate parlamentar realizado na quarta-feira à noite, Kaag reconheceu que a resposta lenta ou confusa do Governo aos alertas sobre a situação no Afeganistão teve como consequência que alguns funcionários locais e pessoas que trabalharam como intérpretes para as tropas holandesas no país não foram de lá retirados.

Depois de a câmara baixa do parlamento ter hoje aprovado a moção de censura, a ministra de imediato declarou que apresentava a demissão, afirmando que o parlamento decidira “que o executivo agiu irresponsavelmente”.

“Só me resta aceitar as consequências desta avaliação, como a ministra com a responsabilidade final”, acrescentou.

Sigrid Kaag ocupou o cargo de chefe da diplomacia num Governo interino holandês em exercício enquanto decorrerem as negociações para formar uma nova coligação de Governo, após as eleições gerais realizadas em março na Holanda.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.