Nove candidatos estão na corrida, mas, de acordo com todas as sondagens, apenas dois, o socialista Igor Dodon, e a candidata da oposição Maya Sanduc, de centro direita, têm possibilidade de vencer.

Dodon, de 41 anos, um ex-comunista que apoia a revisão do Acordo de Associação entre a Moldávia e a União Europeia e o estabelecimento de uma aliança estratégica com a Rússia, é dado pelas sondagens como o favorito.

No entanto, especialistas consideram ser improvável que o socialista, ex-ministro da Economia, consiga a maioria absoluta que lhe permita vencer à primeira volta.

Sandu, de 44 anos, ex-ministra da Educação, proclama como os seus principais objetivos a luta contra a corrupção, a integração real na União Europeia, uma aliança estratégica com os Estados Unidos e a normalização das relações com a Rússia.

De acordo com a Constituição moldava, o poder Executivo reside no Governo, que é nomeado pelo parlamento, e o Presidente do país tem funções principalmente representativas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.