A coligação tem como cabeça de lista à Câmara Municipal de Oeiras, no distrito de Lisboa, a presidente do movimento Evoluir Oeiras, Carla Castelo, de 50 anos, que foi jornalista durante 28 anos e que se apresenta como “uma cidadã independente e muito atenta à realidade e às questões sociais e ambientais”.

Em 21 de março deste ano, a ex-jornalista Carla Castelo manifestou disponibilidade para encabeçar uma candidatura à Câmara Municipal de Oeiras, concelho onde reside há mais de 20 anos, referindo que o projeto político se podia concretizar “com outras cidadãs e cidadãos independentes e com todos os partidos políticos democráticos que não se revissem nas políticas e na postura do atual executivo”.

O atual executivo municipal de Oeiras é composto por seis eleitos do movimento independente de Isaltino Morais (IN-OV Inovar Oeiras), dois do movimento independente IOMAF, um do PSD, um do PS e um da CDU.

Após o anúncio de disponibilidade do movimento Evoluir Oeiras, houve diálogo com sete partidos, designadamente P

S, PCP, PEV, BE, PAN, Livre e Volt, o que resultou num acordo político com três deles – BE, Livre e Volt – e a formação da coligação Evoluir Oeiras, que se apresenta às próximas eleições autárquicas, previstas decorrer entre setembro e outubro.

“A coligação Evoluir Oeiras vem realmente para construir uma alternativa verde, a alternativa verde para Oeiras, e para travar o pacto de betão e de alcatrão que manda no concelho há 35 anos”, indicou Carla Castelo, defendendo a necessidade de outros compromissos, com as pessoas, com o ambiente, com a transparência e com a boa gestão dos dinheiros públicos.

Em declarações à agência Lusa, a cabeça de lista da coligação Evoluir Oeiras disse que a sua candidatura se propõe a “transformar Oeiras”, assente em valores ambientais e sociais.

“Para acabar com este ‘quero, posso e mando’ de Isaltino Morais e construir um futuro de desenvolvimento verdadeiramente sustentável, por nós, pelos nossos filhos, pelos nossos netos”, realçou Carla Castelo, garantindo muito empenho para mudar o atual executivo municipal.

Para a presidente do movimento de cidadãos independentes Evoluir Oeiras, “é um imperativo ético mudar alguma coisa em Oeiras, Oeiras não está bem”.

As linhas programáticas da candidatura da coligação Evoluir Oeiras incidem nas área de ambiente, espaço público, mobilidade, habitação e economia, mas o programa eleitoral ainda está a ser elaborado, para que seja “apresentado em breve”, com os três parceiros políticos - BE, Livre e Volt – e com todos os cidadãos independentes que se queiram juntar ao projeto.

“Queremos apresentar aos oeirenses um programa que seja também sujeito ao escrutínio, à participação pública, antes de ser finalizado para apresentar nas eleições de setembro ou outubro próximo”, apontou a candidata independente, manifestando entusiasmo e a expectativa de “conseguir chegar ao máximo de concidadãos e concidadãs possível, porque é preciso uma mudança em Oeiras”.

Além de Carla Castelo, já foram anunciados como candidatos à Câmara de Oeiras, o atual presidente do município, Isaltino Morais (independente), o presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, Fernando Curto (PS), o deputado da Assembleia da República Alexandre Poço (PSD), o presidente da União de Freguesias de Algés, Linda-a-Velha e Cruz - Quebrada/Dafundo, Rui Teixeira (Chega), e um dos fundadores da Iniciativa Liberal (IL) Bruno Mourão Martins.

Segundo a lei, as autárquicas decorrem entre setembro e outubro, não tendo ainda sido marcada uma data.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.