A polaca Tekla Juniewicz, a segunda pessoa mais velha do mundo, morreu esta sexta-feira aos 116 anos, revelou o neto à rede televisiva TVN24, na Polónia.

Juniewicz nasceu em 1906 em Krupsko, na região de Lviv, atualmente na Ucrânia, que na altura fazia parte do Império Austro-Húngaro.

Quando a Polónia se tornou independente em 1918, Juniewicz tinha 12 anos. Até o início da Segunda Guerra Mundial, viveu com o marido na sua terra natal, anexada à Polónia no período entre guerras.

Após a anexação da região de Lviv pela União Soviética em 1945, a família fugiu para o sudoeste da Polónia.

"Tekla Juniewicz viveu de forma independente até os 103 anos (...), gostava de filmes, programas de história, jogos de cartas (...), leitura, companhia de outras pessoas e viagens", lembra em comunicado o município de Gliwice, onde Juniewicz viveu desde 1945.

Juniewicz tinha cinco netos, quatro bisnetos e quatro tetranetos. A sua filha mais nova, de 93 anos, ainda está viva.

Lucille Randon, uma francesa de 118 anos, continua a ser a pessoa mais velha do mundo depois de o japonês Kane Tanaka ter falecido a 19 de abril com 119 anos, de acordo com a lista do Grupo de Pesquisa Gerontológica (GRG) das pessoas mais velhas do mundo.

Segundo o GRG, a segunda pessoa mais velha do mundo é agora Maria Branyas Morera, uma latino-americana de 115 anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.