Mais um acidente na Linha da Beira Alta, o segundo em menos de duas semanas, “demonstra que essa é uma obra estruturante e necessária” para “uma melhor acessibilidade” entre o litoral e Espanha, através de Vila Formoso, declarou à agência Lusa João Ataíde, presidente da CIM e da Câmara Municipal da Figueira da Foz.

“Venha a obra o mais rápido possível”, reclamou o autarca, que cumpre o terceiro e último mandato pelo PS, na condição de independente, na liderança do município da Figueira da Foz, no distrito de Coimbra.

Um deslizamento de terras devido à chuva dos últimos dias foi a causa do descarrilamento de um comboio intercidades hoje, cerca das 08:40, na Linha da Beira Alta, próximo de Mortágua, sem haver registo de feridos, disse à Lusa o presidente deste município do distrito de Viseu, Júlio Norte.

A 20 de fevereiro, o tráfego ferroviário também foi interrompido na Linha da Beira Alta, entre Nelas e Mangualde, no distrito de Viseu, devido ao descarrilamento de um vagão de um comboio de mercadorias.

Nesta matéria, a Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões partilha da posição da CIM da Região de Coimbra, que aposta na requalificação da Linha da Beira Alta.

Há dois anos, num encontro com os jornalistas, em Mortágua, os autarcas da CIM da Região de Coimbra, com base num parecer do professor universitário Manuel Tão, especialista em transportes ferroviários, já tinham defendido que esta solução será “mais económica e eficaz” do que a construção de uma nova linha Aveiro-Vilar Formoso, preconizada pelo Governo PSD/CDS-PP liderado por Pedro Passos Coelho, opção que veio a ser rejeitada pelo atual executivo, do socialista António Costa.

A requalificação da Linha da Beira Alta implica um investimento na ordem dos 690 milhões de euros, financiado em 85 por cento por fundos da União Europeia.

Um comboio intercidades descarrilou hoje, à entrada do túnel do Coval, próximo de Mortágua, “mas já no município de Santa Comba Dão”, segundo o autarca Júlio Norte.

Técnicos da Infraestruturas de Portugal estão a preparar a desobstrução da via, no local do acidente, onde também estiveram operacionais dos Bombeiros Voluntários de Mortágua e de Santa Comba Dão e responsáveis da Proteção Civil dos dois concelhos, entre outras entidades.

Descarrilaram a locomotiva e as duas primeiras carruagens do intercidades, que fazia a ligação entre Guarda e Lisboa. A Linha da Beira Alta está cortada e não há previsões para a sua reabertura.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.