"As vítimas humanas e os danos ambientais causados pelo fogo em Pedrogão Grande exigem ação urgente e eficaz", lê-se no comunicado do World Wide Fund (Fundo Mundial para a Natureza), acrescentando que deve ser implementada uma reforma que termine o cadastro florestal e que se inicie um serviço florestal que "antecipe o movimento do fogo no verão e trabalhe em prevenção no inverno".

A organização diz ainda que o Governo deve promover a criação de paisagens florestais diversas, mais resistentes ao fogo e "capazes de servir de barreira às alterações climáticas".

"A promoção da organização em mosaico da paisagem florestal nacional é urgente e crucial", defende o WWE.

A entidade refere que a ocorrência deste desastre foi provocada pela "má gestão das florestas", destacando a plantação de espécies muito inflamáveis, como pinheiros ou eucaliptos, e também as alterações climáticas.

O WWF diz que os incêndios desta dimensão só podem ser evitados se o Governo e a administração central apostarem na "prevenção e no restauro da paisagem e da floresta de forma diversa e não baseado em uma ou duas espécies florestais (monocultura)".

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e 179 feridos, segundo um balanço divulgado hoje.

Este incêndio já consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.