"As vítimas humanas e os danos ambientais causados pelo fogo em Pedrogão Grande exigem ação urgente e eficaz", lê-se no comunicado do World Wide Fund (Fundo Mundial para a Natureza), acrescentando que deve ser implementada uma reforma que termine o cadastro florestal e que se inicie um serviço florestal que "antecipe o movimento do fogo no verão e trabalhe em prevenção no inverno".

A organização diz ainda que o Governo deve promover a criação de paisagens florestais diversas, mais resistentes ao fogo e "capazes de servir de barreira às alterações climáticas".

"A promoção da organização em mosaico da paisagem florestal nacional é urgente e crucial", defende o WWE.

A entidade refere que a ocorrência deste desastre foi provocada pela "má gestão das florestas", destacando a plantação de espécies muito inflamáveis, como pinheiros ou eucaliptos, e também as alterações climáticas.

O WWF diz que os incêndios desta dimensão só podem ser evitados se o Governo e a administração central apostarem na "prevenção e no restauro da paisagem e da floresta de forma diversa e não baseado em uma ou duas espécies florestais (monocultura)".

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e 179 feridos, segundo um balanço divulgado hoje.

Este incêndio já consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.