Feito cardeal em fevereiro de 2014, no primeiro consistório do Papa Francisco, o arcebispo de Seul está no governo da arquidiocese desde 2001, altura em que foi nomeado bispo auxiliar.

Segundo o Santuário de Fátima, a presidência do cardeal sul-coreano exprime, "uma vez mais, a atenção que o Santuário tem dado ao continente asiático, de onde se tem registado um aumento anual de peregrinos, mas é, também, uma chamada de atenção para a necessidade de paz naquela zona do globo".

Este ano, o cardeal filipino Luis Antonio Tagle presidiu à celebração de maio, tendo sido também escolhidos dois bispos do continente asiático para presidir às celebrações na Cova da Iria de maio e de outubro de 2018.

Numa nota de imprensa enviada no início do mês, o Santuário de Fátima lembrava que, no ano do Centenário das Aparições, "uma das imagens da Virgem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima esteve na Coreia do Sul, entre 22 de agosto e 13 de outubro, tendo percorrido 14 dioceses, numa visita sem precedentes".

"Em 2018, dos 481 grupos de peregrinos provenientes da Ásia, que participaram nas celebrações oficiais do Santuário, 125 foram sul coreanos", informou o Santuário, recordando as palavras do cardeal António Marto que dizia que "a Ásia é o eixo para onde o mundo cristão caminha".

O programa da peregrinação começa hoje às 16:00 e termina no domingo, com a procissão do adeus.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.