Numa nota, a PJ salientou que o pergaminho foi recentemente motivo de notícias, dado o interesse publicamente manifestado pelo Arquivo Nacional da Torre do Tombo, numa altura em que foi colocado à venda na internet por 750 euros.

O documento será um dos três lavrados na época com o registo da escritura da entrega do Castelo de Lisboa, em janeiro de 1383, ao conde de Barcelos, João Afonso Telo, irmão de Leonor Teles, esposa do Rei D. Fernando.

A entrega foi autorizada precisamente por D. Fernando, que faleceu em outubro desse ano, dando origem à crise política de 1383-1385.

"Dada a importância e valor inestimável do documento, e lograda que foi a tentativa de compra por parte do Arquivo Nacional, esta instituição comunicou o seu eventual descaminho da legítima tutela do Estado, dando origem a investigação por parte da Polícia Judiciária", salienta a PJ.

Esta autoridade, "após proficiente trabalho de recolha de informação e investigação, logrou localizar e apreender" o pergaminho no Porto.

A Torre do Tombo preservou os documentos da Administração Régia, da Casa Real e de instituições ou particulares a seu pedido, pelo que a conservação deste pergaminho, um documento da Administração Régia, caberia ao Arquivo Nacional.

O pergaminho irá agora ser alvo de perícia, no sentido de comprovar a sua autenticidade, sendo posteriormente entregue ao Arquivo Nacional, acrescentou a PJ.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.