“Acabo de ouvir que o Irão, de uma forma cobarde, está a tentar escapar à responsabilidade neste caso, que eles estão a negar [qualquer envolvimento]. Portanto, posso dizer com absoluta certeza que o Irão levou a cabo este ataque ao navio (…). Há provas disso”, afirmou, durante a reunião semanal do seu governo.

“Esperamos que a comunidade internacional envie um sinal claro ao regime iraniano de que cometeu um erro grave. Em qualquer caso, sabemos como enviar uma mensagem ao Irão, à nossa própria maneira”, acrescentou, sem especificar.

Na quinta-feira, o petroleiro “Mercer Street”, foi alvo de um ataque com ‘drones’ [aparelhos aéreos não tripulados] no mar Arábico, segundo os militares norte-americanos, que têm vários navios na região.

O ataque, que não foi reivindicado, deixou duas pessoas mortas – um britânico empregado pela empresa de segurança Ambrey, e um membro da tripulação romena, segundo o armador Zodiac Maritime, uma empresa internacional com sede em Londres, propriedade do israelita Eyal Ofer.

“Os iranianos, que atacaram o navio ‘Mercer Street’ com um ‘drone’, pretendiam atacar um alvo israelita, mas o seu ato de pirataria custou as vidas de um cidadão britânico e de um romeno”, acrescentou Bennett, antigo ministro da Defesa, que defende uma linha dura contra o Irão.

Segundo o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano, Saeed Khatibzadeh, a acusação de que o Irão levou a cabo o ataque é “sem fundamento”, referindo que “tais jogos de culpas não são novidade”.

“Os responsáveis por este [ataque] são aqueles que tornaram possível ao regime israelita colocar o seu pé nesta região”, considerou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.