"Só na freguesia de Sarilhos Grandes existem pelo menos duas saídas de esgoto sem tratamento a ser despejado para o rio Tejo, poluindo gravemente as águas e pondo em perigo a saúde pública", refere o PSD em comunicado enviado à Lusa.

Os sociais-democratas acusam o presidente da autarquia, Nuno Canta (PS), de "fechar os olhos" à situação.

"Esta situação não pode continuar, a bem da população e do próprio ambiente do concelho. Não há qualquer ideia estratégica para o aproveitamento turístico, ambiental e económico do rio Tejo", acrescenta.

O presidente da Câmara do Montijo (distrito de Setúbal), Nuno Canta, afirmou à Lusa que os esgotos domésticos do concelho estão a ser tratados nas Estações de Tratamentos de Águas Residuais (ETAR) do concelho.

"Tudo o que é da responsabilidade da autarquia está acautelado, até fazemos algumas recolhas em camiões para as ETAR. Temos duas situações por resolver, mas não são da responsabilidade da autarquia, mas sim da Águas de Lisboa e Vale do Tejo", disse.

Nuno Canta explicou que é preciso concluir duas infraestruturas em Alta e avançar para a construção de uma ETAR em Canha.

"Tem que se construir duas infraestruturas em Alta, mas trata-se de esgotos unitários, não são domésticos, são questões diminutas. É preciso é avançar com a construção da ETAR em Canha, algo que nunca resolveu e pela qual temos estado a lutar", defendeu.

O autarca socialista destacou que a Câmara do Montijo é "uma das únicas" que não têm dívidas para com o sistema de recolha de efluentes e enalteceu os investimentos feito na última década no setor das águas e saneamento.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.