A Santa Casa comprou a totalidade do capital da Cruz Vermelha naquela instituição, no âmbito de um processo negocial que "cria as condições necessárias para o reforço da missão daquele prestigiado hospital no sistema de saúde português”, refere um comunicado conjunto.

As entidades subscritoras afirmaram que a transação teve em conta “a responsabilidade pela recapitalização da Sociedade Gestora do HCV”, bem como o desenvolvimento a curto prazo de um programa de reestruturação da atividade operacional, que será assumida pela Santa Casa, na qualidade de acionista maioritária.

O Hospital da Cruz Vermelha (HCV) vai manter o seu nome e identidade, assim como toda a atividade clínica, estando previsto “um reforço da sua intervenção no âmbito do terceiro setor”, em linha com a intervenção da Santa Casa na área da saúde.

Na próxima assembleia geral do HCV, marcada para quarta-feira, serão eleitos os novos corpos sociais do hospital e, nesse mesmo dia, os elementos nomeados pela Santa Casa iniciarão as funções de gestão.

Numa segunda fase, está prevista a aquisição, também por parte da Santa Casa, das restantes ações do capital social da Sociedade Gestora do HCV, detidas pela Parpública.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, a Cruz Vermelha Portuguesa e a Parpública congratulam-se, no documento, com a solução encontrada.

Defendem que assim se “robustecerá o HCV”, para disponibilizar, “ainda mais e melhor as suas inúmeras valências e serviço de excelência à comunidade”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.