O estudo da NASA refere-se à falta de chuvas que atingiu o Chipre, Israel, Jordânia, Líbano, Palestina, Turquia e a Síria de 1998 a 2012. No caso da Síria, vários estudos apontam a seca e as consequentes más colheitas como desencadeaoras da guerra civil que começou em 2011.

Para chegarem a estas conclusões, os cientistas reconstruíram a história da seca no Levante através do estudo de três anéis de árvores. O objetivo era perceber o clima da região e as mudanças na precipitação da zona. Os anéis finos revelam os anos secos, enquanto que os grossos mostram os anos que houve água abundante.

A equipa conseguiu identificar os anos mais secos, mas não só. O grupo da NASA ainda descobriu padrões na distribuição geográfica da seca. Estes padrões fornecem uma "impressão digital" que permite identificar as causas subjacentes.

Graças a estes dados, que mostram o alcance da variação natural na ocorrência da seca no Médio Oriente, os cientistas têm a possibilidade de identificar as secas agravadas pelo aquecimento global causado pelo homem.

Ben Cook, autor principal do estudo, explica que dada a importância e o impacto das mudanças climáticas é importante compreender o alcance total da variação natural do clima.

"Se nós olharmos para eventos recentes e começarmos a ver anomalias fora do alcance da variação natural, podemos dizer com alguma segurança que o factor humano contribuiu para a mudança climática neste evento particular ou nesta série de eventos", explicou Ben, citado pela NASA.

E o Mediterrâneo ocidental, terá consequências?

De acordo com a NASA, sim. O co-autor do estudo, Kevin Anchukaitis, explica que "se uma região estiver a sofrer as consequências da seca, é provável que essas condições existam também em toda a bacia do Mediterrâneo".

A equipa de cientistas ainda descobriu que quando a zona do norte do Mediterrâneo - Grécia, Itália, e as costas de França e Espanha - tendiam a ser secas, o nordeste africano - Corno de África - estava seco e vice-versa. Estas relações leste-oeste e norte-sul ajudaram a equipa a compreender que o oceano ou as condições atmosféricas podem provocar os períodos de seca ou de chuva.

"O Mediterrâneo é apontado, por unanimidade, como uma das áreas que vai secar no futuro", alertou Yochanan Kushnir, um cientista do clima do Observatório da Terra Lamont Doherty, que não esteve envolvido na investigação. "Este estudo mostra que o comportamento durante este período recente da seca é diferente do que vemos no resto do registo", comentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.