O que aconteceu?

O tiroteio aconteceu pouco antes das 16 horas locais (17 horas em Lisboa)num restaurante da rede McDonald's, tendo continuado numa rua próxima. Várias testemunhas referiram a existência de três agressores, que teriam entrado no centro comercial perto do Estádio Olímpico, no norte da cidade, segundo uma porta-voz da Polícia. Um vídeo amador, publicado nas redes sociais, mostra várias pessoas a tentar fugir do restaurante, enquanto um homem vestido de preto atira sobre elas várias vezes. A estação central foi evacuada, e os transportes públicos (metropolitano, autocarros e elétricos) foram totalmente suspensos, voltando a funcionar apenas por volta das 23h30 (00h30 de Lisboa).

Inaugurado nos anos 70 e o maior da Baviera, este centro comercial foi cercado pela polícia, enquanto helicópteros sobrevoavam a cidade. O estabelecimento fica próximo do local onde um comando palestiniano fez refém uma equipa atletas israelitas durante os Jogos Olímpicos de 1972. Na altura, onze atletas foram mortos.

Depois de anunciar 21 feridos, a Polícia reduziu esse número para 16, três deles em situação grave. Há crianças entre os feridos, e várias "pessoas jovens" entre os mortos.

Um atentado extremista?

Inicialmente, um porta-voz da Polícia disse à AFP que as autoridades suspeitavam de um acto "terrorista" cometido por três atiradores, que estariam em fuga. "Por enquanto, partimos do princípio de que se trata de um tiroteio", recuou o chefe da Polícia local, Hubertus Andrä, acrescentando que ainda não era possível considerar uma eventual motivação terrorista. Segundo este responsável, o autor gritou algo no momento de passar à acção, mas a investigação ainda não permitiu saber o que é que o atirador teria dito exatamente.

Citando testemunhas, meios da imprensa local disseram que o atirador gritou "Allah Akbar" (Alá é grande). À noite, circulava nas redes sociais um segundo vídeo amador, cuja autenticidade ainda não pôde ser verificada, mostrando o que parece ser um atirador sobre um telhado. Várias pessoas apontam para ele, enquanto gritam palavras racistas. "Turcos de merda!", "Hey, ele tem uma arma!", gritavam duas pessoas. "Eu sou alemão (...) Nasci aqui!", responde o suposto atirador.

O ataque aconteceu numa Europa já em estado de alerta após vários atentados em França e na Bélgica. O tiroteio acontece apenas alguns dias depois do ataque cometido em Wurzburgo, perto de Munique, por um afegão que atacou passageiros num comboio. Cinco pessoas ficaram feridas, duas delas gravemente.

O Estado Islâmico (EI) assumiu a autoria desse atentado, o primeiro reconhecido pelo grupo na Alemanha. O ministro alemão do Interior, Thomas de Maizière, disse que o jovem de 17 anos era um "lobo solitário", claramente "inspirado" no EI, mas sem fazer parte do grupo. 

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.