Espanha e Portugal reabriram as suas fronteiras às 23h00 de Lisboa (0:00 de quarta-feira em Espanha), três meses e meio depois de, em 17 de março, as terem fechado para lutar contra a pandemia, período durante o qual a fronteira luso-espanhola funcionou apenas com pontos de passagem exclusivamente destinados ao transporte de mercadorias e a trabalhadores transfronteiriços.

Horas depois da reabertura terão lugar as cerimónias oficiais, com a participação do Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, do rei de Espanha, Felipe VI, do primeiro-ministro português, António Costa, e do chefe do Governo espanhol, Pedro Sánchez, primeiro, em Badajoz, e depois em Elvas, no distrito de Portalegre.

PEV aproveita reabertura das fronteiras com Espanha para exigir fecho de Almaraz
PEV aproveita reabertura das fronteiras com Espanha para exigir fecho de Almaraz
Ver artigo

De acordo com o programa divulgado, pelas 09:30 de Portugal (10:30 em Espanha) haverá uma cerimónia no Museu Arqueológico de Badajoz, em que serão executados os hinos dos dois países e haverá uma fotografia de família. Quinze minutos mais tarde, decorrerá uma cerimónia semelhante, no Castelo de Elvas.

A ministra da Indústria, Comércio e Turismo espanhola, Reyes Maroto, começou por anunciar a reabertura das fronteiras com Portugal para o dia 22 de junho, anúncio a que o Governo português reagiu com surpresa, tendo sido depois acertado o dia um de julho.

Espanha foi um dos países mais atingidos pela pandemia de covid-19, doença provocada por um novo coronavírus detetado em dezembro do ano passado no centro da China, e soma mais de 28 mil mortes num total de cerca de 250 mil casos de infeção contabilizados.

Nas últimas semanas, o número de novas infeções e de mortes reportados baixou significativamente. No entanto, Espanha registou, de segunda para terça-feira, mais nove mortes, o triplo do dia anterior, e 99 novos casos de pessoas infetadas, também mais do que no dia anterior.

ProToiro aproveita reabertura das fronteiras com Espanha para protesto. Federação acusa Governo de discriminar a tauromaquia
ProToiro aproveita reabertura das fronteiras com Espanha para protesto. Federação acusa Governo de discriminar a tauromaquia
Ver artigo

Nas mesmas 24 horas, Portugal registou mais oito mortes e mais 229 infetados, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Em Portugal, os primeiros casos foram confirmados no dia 02 de março e até agora já morreram 1.576 pessoas num total 42.141 casos de infeção contabilizados, de acordo com o relatório de segunda-feira da DGS.

A maioria dos novos casos tem surgido na Área Metropolitana de Lisboa, principalmente nos concelhos de Sintra, Amadora, Loures, Odivelas e Lisboa, o que levou o Governo a aplicar medidas específicas, sobretudo para 19 freguesias, onde continua a vigorar o estado de calamidade, enquanto a maior parte do território nacional passou a estado de alerta.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.