Trump não foi direto, mas está a ser acusado de fazer uma ameaça de assassinato à candidata democrata Hillary Clinton, sua rival na corrida à Casa Branca.

“Hillary quer essencialmente abolir a segunda emenda, aliás, se ela puder escolher os juízes [do Supremo Tribunal] não há nada que vocês possam fazer, pessoal. Se bem que para as pessoas da segunda emenda talvez ainda exista [algo que possam fazer], não sei. Mas digo-vos, esse será um dia horrível”, disse aos seus apoiantes em Wilmington, na Carolina do Norte.

A segunda emenda da Constituição dos EUA garante o privilégio da manutenção e posse de arma aos cidadãos norte-americanos. Trump tem vindo a acusar Hillary de querer acabar com a segunda emenda, ideia que a candidata democrata recusa.

“Isto é simples, o que Trump está a dizer é perigoso. Uma pessoa que procura ser presidente dos EUA não devia sugerir violência de nenhuma forma”, disse Robby Mook, gestor da campanha de Hillary Clinton, em reacção ao que aconteceu esta terça-feira.

As presidenciais acontecem a 8 de novembro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.