Segundo um comunicado do Conselho da UE, outras duas pessoas, que estavam incluídas na lista de congelamento de bens que caducava esta terça-feira, viram as medidas revistas.

O congelamento de bens a pessoas por apropriação indevida de dinheiros estatais foi imposto pela primeira vez em março de 2014, no âmbito do pacote de sanções face à crise na Ucrânia à anexação ilegal da Crimeia pela Rússia e reapreciadas anualmente desde então.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.