Peter Seisenbacher, acusado em outubro de abusar sexualmente de duas meninas de quem era treinador, era procurado no âmbito de um mandado de detenção internacional emitido depois de o antigo atleta de 57 anos não ter comparecido em dezembro, como exigido, perante a justiça austríaca.

De acordo com as autoridades austríacas, o antigo atleta foi detido “no seu apartamento de Kiev”, tendo a sua extradição sido solicitada de imediato pela Justiça do país.

A acusação a Seisenbacher é o corolário de três anos de inquérito, resultantes da denúncia das duas alegadas vítimas, hoje adultas.

Os alegados factos remontam a um período compreendido entre o final dos anos 1990 e o início dos anos 2000 e envolvem duas meninas, menores de 14 anos, que Seisenbache treinava.

De acordo com a procuradoria de Viena, uma das vítimas, que inicialmente tinha 11 anos, sofreu abusos durante três anos.

O antigo judoca, o primeiro a defender com sucesso o título olímpico, terá também de responder judicialmente por uma alegada tentativa de abuso sexual de uma terceira criança.

Peter Seisenbacher recusou sempre comentar as acusações de que está a ser alvo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.