À primeira vista, é muito mais aquilo que os une do que aquilo que os separa. Poderia ser esta a leitura superficial da apresentação dos dois programas eleitorais ontem apresentados por Bruno de Carvalho, atual presidente e candidato a um segundo mandato, e Pedro Madeira Rodrigues, o outro candidato.

Deixemos por agora as repetições e comecemos antes pelas diferenças e novidades. Que as há e algumas são notórias. Desde logo pela forma como foram conhecidos os programas. Bruno de Carvalho, com o slogan “Sporting no Rumo Certo”, optou por divulgar, na rede social Facebook, 111 medidas, num documento de 38 páginas em que faz um longo elogio à obra feita que pode ser escrutinada, assim como às anteriores 122 promessas feitas no início deste mandato.

Madeira Rodrigues sintetizou 64 medidas, divididas em 9 páginas. Com o lema “Sempre da Frente”, recorreu a uma apresentação pública, feita no auditório Artur Agostinho, em Alvalade, dando seguimento a uma promessa feita por... Bruno de Carvalho, que afirmou disponibilizar, enquanto presidente, as instalações do clube a todos os candidatos enquanto decorre o ato eleitoral.

Simbolismos também cada um tem o seu. 111 é o número de anos que a instituição Sporting Clube de Portugal completa este ano, explica Bruno de Carvalho, justificando a razão do número das medidas propostas. Já Madeira Rodrigues escolheu a data devido ao fato de, neste mesmo dia, em 1946, ter tomado posse António Ribeiro Ferreira (1946-1953), que lhe serve de inspiração (6 títulos nacionais conquistados em 7 anos). Uma inspiração que o levou a convidar o neto, Pedro Ribeiro Ferreira, para Mandatário Nacional. Já Daniel Sampaio é o escolhido do atual presidente.

Futebol: dos clubes satélites ao centro de estágio a norte

No futebol, Bruno de Carvalho, elenca 17 medidas. Entende que o treinador é para treinar. E que a direção escolherá um treinador adjunto e o departamento médico. Defende a manutenção da equipa B durante o próximo mandato e depois equaciona a criação de clubes satélites. Enquanto tal não sucede, aponta a parcerias estratégicas. E quer continuar a apostar na equipa feminina.

Oito são as medidas propostas por Madeira Rodrigues para o futebol. Destacam-se a imposição de um limite máximo de 23 jogadores no plantel da equipa principal, aposta clara na equipa B e o desenvolvimento de um modelo universal para todos os escalões do clube.

Um centro de estágio no norte de Portugal está na mente de Pedro Madeira Rodrigues. Já Bruno de Carvalho vira-se, nessa zona, mais para uma parceria estratégica duradoura.

Unidos pela recompra da VMOC’s (Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis) que conduzirão à manutenção do controlo da maioria do capital da Sporting SAD e pela venda do naming de estádio, academia e pavilhão, os dois candidatos até agora conhecidos inovam e divergem com medidas apresentadas. Por exemplo, Pedro Madeira Rodrigues quer recomprar ao BCP a Academia de Alcochete, vendida pela atual direção. Já Bruno de Carvalho quer uma revisão dos moldes do Jogo online.

A palavra transparência sai da boca dos dois candidatos. Madeira Rodrigues defende que se conheça a identidade dos investidores. Sem medos e nada a esconder, Bruno de Carvalho quer realizar uma auditoria de gestão de si mesmo e perpetuar esta prática no final de cada mandato.

Centro de Alto Rendimento de Atletismo e voleibol com Bruno de Carvalho. Vela e velódromo Joaquim Agostinho pela mão de Madeira Rodrigues.

O ecletismo está na base do clube. Logo não é de espantar que ocupe um espaço nas páginas dos programas eleitorais. O conceito de Escolas Academia Sporting nas modalidades e o projeto olímpico une o atual presidente ao candidato que lhe quer ocupar o lugar.

Bruno de Carvalho quer constituir um Centro de Alto Rendimento (CAR) de Atletismo, denominado Professor Moniz Pereira. O senhor atletismo será, caso Madeira Rodrigues seja eleito, sócio perpétuo número 2. E promete um velódromo que perpetue o nome de Joaquim Agostinho.

Bruno de Carvalho sonha com regresso do voleibol. Já Pedro Madeira Rodrigues atira-se ao basquetebol para que este “jogue a sério” no escalão mais elevado. E quer um clube naval.

Rádio Sporting promete Bruno de Carvalho. Jornal digital para quem paga quotas, diz Madeira Rodrigues.

Os sócios são o maior património do clube. A frase feita já vem de anteriores direções. Mas é repetida como se de novidade estivéssemos a falar. Núcleos, sócios, sócios, claques, claques, núcleos, o número são 3.500 milhões adeptos e simpatizantes.

Cada qual apresenta medidas específicas que se resumem em dar e ganhar com quem escolheu o verde e branco como cor do coração. Para comunicar há as ferramentas tradicionais e as mais recentes. Se Madeira Rodrigues promete o envio da versão digital do jornal do Sporting a quem tenha as quotas em dia, Bruno de Carvalho procura que “todo o mundo...” escute a rádio que quer criar.

Fosso, cadeiras, concertos, artistas...

Os concertos podem estar de volta a Alvalade. Esta é pelo menos a promessa feita pelo atual presidente e candidato Bruno de Carvalho, caso seja eleito. A realização poderá ser tanto no estádio como no pavilhão João Rocha.

Sem referir esta vertente lúdica no seu programa, Pedro Madeira Rodrigues prefere apontar baterias para o eventual fecho do fosso do estádio, querendo, assim, que os adeptos estejam mais próximos dos “artistas” e substituir as cadeiras que se desviem do conceito cromático do clube.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.