Em comunicado, o emblema de Génova confirmou os novos casos, garantindo que todos estão “de boa saúde e nas suas casas” na cidade genovesa.

“A Sampdoria reitera que aplicou, com efeitos imediatos, todos os procedimentos requeridos por lei: as instalações do clube estão fechadas e a equipa, técnicos e outros empregados potencialmente afetados estão em isolamento voluntário, com as atividades suspensas”, pode ler-se na nota da ‘Samp’.

Na quinta-feira, o internacional italiano Manolo Gabbiadini confirmou o diagnóstico com Covid-19, um dia depois de Daniele Rugani, colega de Cristiano Ronaldo na Juventus, também ter testado positivo.

Hoje, o avançado croata da Fiorentina Dusan Vlahovic também contraiu Covid-19, elevando para sete os casos de futebolistas da 'Serie A' infetados, cinco na Sampdoria, um na 'Juve' e outro na 'Fiore'.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.300 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 140 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados.

A OMS declarou hoje que o epicentro da pandemia provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) se deslocou da China para Europa, onde se situa o segundo caso mais grave, o da Itália, que anunciou 250 novas mortes, um recorde em 24 horas, e que regista 1.266 vítimas fatais.

O número de infetados em Itália, onde foi decretada quarentena em todas as regiões, é agora superior a 17.600, cerca de 2.500 mais do que na quinta-feira e praticamente metade dos quase 35 mil casos confirmados na Europa, onde se registaram perto de 1.500 mortos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.