Com um empate a uma bola, o clube de futebol Aizawl venceu o principal campeonato indiano de futebol, a I-League (primeira liga). Foi um campeão inesperado, já que o orçamento não é milionário, mas ainda assim foi o suficiente para vencer 11 dos 18 jogos do campeonato, conquistando mais um ponto (37) que o segundo classificado. Todavia, o clube do nordeste da Índia não terá oportunidade de defender o título na próxima época, já que esta foi a última temporada que o atual modelo competitivo foi utilizado naquele país.

No ano passado, a federação indiana de futebol introduziu um novo sistema, com três escalões que só agora, na época 2017/18, deverá entrar em vigor. Porém, o campeão da ainda principal liga não entra no escalão de topo.

Este novo campeonato será formado através da fusão da atual liga principal da hierarquia, aI-League, de onde virão três clubes, desde que paguem, com a Indian Super League (Super Liga Indiana), onde estão oito clubes - um dos quais treinado pelo português Nelo Vingada.

“Como é que se pode ser campeão e ainda assim não ser autorizado a jogar na liga principal? O Aizawl vai protestar veementemente esta medida injusta”, disse Robert Royte, o dono do clube, ao Times of India no domingo (30 abril).

Os responsáveis pelo clube já avisaram a federação indiana de futebol de que caso não sejam incluídos na nova liga de topo há a possibilidade de “protestos, greves de fome, jejum até à morte por todo o país e até no estrangeiro. Vamos fazer tudo”, alertou Robert Royte também ao Times of India.

No Twitter o clube diz ter “submetido o pedido formal à AIFF (All Indian Football Federation) para continuar na liga de topo, mesmo após a proposta de fusão entre a liga de topo existente e a ISL (Indian Super League). Se não receber uma resposta positiva da AIFF, o clube vai falar com o ministro do desporto, com o primeiro ministro da Índia e também com o presidente da Confederação Asiática de Futebol (AFC). Se todos estes passos falharem, o clube não terá outra escolha se não recorrer a protestos mundiais, manifestações perto dos escritórios da AFC/FIFA, vigílias junto da AIFF, greve de fome em massa e protesto de jejum até à morte”.

Na segunda-feira, o dono do clube dizia esperar que a AIFF inclua o Aizawl na ISL: “Como é que os campeões podem ser relegados para a segunda divisão? Não o vamos aceitar, impossível. Vamos estar a jogar nas competições asiáticas. Quão patético seria se os campeões indianos estivessem a jogar na Ásia, porém, em casa, não lhes seja permitido jogar na liga principal?”, disse Royte , citado pelo The Guardian.

Ontem (2 maio), Royte enviou uma carta ao presidente da federação indiana de futebol, Praful Patel, onde denuncia a injustiça de o campeão não ser incluído na nova liga, ao contrário dos segundo, terceiro e quarto classificados, que se prevê virem a fazer parte da nova liga.

“No meio de um sucesso inédito, tem sido noticiado que a AIFF pretende incluir três clubes da I-League, Mohun Bagan, East Bengal e Bengalurr FC, mantendo o silêncio sobre a inclusão do atual campeão Aizawl FC na liga de topo proposta. Seria totalmente injusto e inaceitável relegar o campeão da liga de topo devido à sua fusão com um torneio ‘intercidades’ não reconhecido”, terá Ryote dito na carta, citado pelo Times of India.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.