Aos 30 minutos, João Carvalho lançou João Félix e este, depois de correr pela direita, centrou para o golo de Diogo Jota, que coloca Portugal em vantagem no ‘play-off’, com decisão marcada para terça-feira, em Chaves.

O conjunto de Rui Jorge teve mais e melhores oportunidades de golo, mais tempo de posse de bola e dominou quase sempre o encontro, conseguindo uma vitória escassa, mas justa, num embate em que só sofreu, e não muito, num curto período na segunda parte.

Portugal impôs, assim, a primeira derrota na qualificação à Polónia, que havia também marcado em todos os jogos, tendo agora o fator casa para 'selar' a presença na fase final.

Em relação ao último jogo de qualificação (4-2 à Bósnia-Herzegovina), Rui Jorge mudou três ‘peças’, substituindo Pêpê e os lesionados Diogo Dalot e Jota por Stephen Eustáquio, Diogo Gonçalves, como lateral direito, e Gedson Fernandes.

Assim, Portugal começou com Joel Pereira na baliza, uma defesa com Diogo Gonçalves, Jorge Fernandes, Diogo Leite e Yuri Ribeiro, um meio campo como Eustáquio, mais recuado, André Horta, Gedson e João Carvalho e um ataque com João Félix e Diogo Jota.

A formação das ‘quinas’ entrou a dominar, perante uma Polónia na expectativa, mas sem conseguir criar perigo, sendo exceção um centro da direita de Diogo Gonçalves, sempre muito ofensivo, ao qual Diogo Jota não chegou, aos sete minutos.

Depois de assustar aos 24 minutos, Portugal chegou ao golo aos 30, num contra-ataque perfeito: João Carvalho lançou João Félix, que correu sobre a direita, olhou para a área e colocou a bola, com classe, ao segundo posto, onde apareceu Diogo Jota a encostar.

Em vantagem, o ‘onze’ de Rui Jorge assentou o domínio, com João Félix a ameaçar o segundo, aos 40 minutos, enquanto a Polónia, que acusou o golo, só assustou quase em cima do intervalo, num remate pouco por cima da barra de Zurkowski.

A segunda parte não trouxe novidades, com Portugal a reentrar dominador, à procura do segundo golo, mas sem criar grandes ocasiões, enquanto a Polónia defendia e tentava, sem sucesso, sair para a frente em contra-ataque.

Depois dos 65 minutos, com as substituições, a Polónia melhorou e conseguiu assustar a seleção lusa, mas, então, brilhou Joel Pereira, com defesas decisivas em resposta a remates de Jagiello, aos 73, e Diogo Leite, para a própria baliza, aos 77.

Com mais espaço, e jogadores mais frescos, casos de Heriberto e Rafael Leão, a seleção lusa também teve mais espaço e poderia ter chegado ao segundo, nomeadamente aos 76 minutos, quando João Carvalho não conseguiu superar o guarda-redes Grabara.

Já sobre o final, aos 90 minutos, a Polónia ainda teve uma última oportunidade para chegar ao empate, mas o cabeceamento de Kapustka, em boa posição, saiu muito ao lado.


Notícia atualizada às 19:13

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.