“Pergunto-me se não é realmente um pouco demais”, disse a governante alemã, “muito preocupada” com a situação, que abordou após uma reunião com o primeiro-ministro britânico Boris Johnson na sua residência de campo em Chequers.

Em causa o facto de mais de 60.000 espetadores estarem autorizados a presenciar ao vivo as meias-finais e final do Euro2020 no estádio de Wembley, com capacidade para 90.000, quando inicialmente as indicações é que só podiam assistir 40.000 adeptos.

“Na Alemanha, decidimos admitir menos espetadores nos jogos no estádio de Munique, mas é claro que o governo do Reino Unido toma as suas próprias decisões”, contrapôs Merkel, na sua última visita ao país antes de deixar o poder nas legislativas de setembro.

Boris Johnson justificou a decisão de maior abertura com o "muro da imunidade" que diz ter sido construído no país, no qual 63% dos adultos receberam já as duas doses da vacina.

A preocupação de Merkel segue-se à já expressada pelo primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, e pela vice-presidente da Comissão Europeia, Margaritis Schinas.

Saúde à parte, Angela Merkel classificou como “merecida” a vitória da Inglaterra por 2-0 sobre a Alemanha, nos oitavos de final da competição, desejando “boa sorte” ao rival para o resto da prova.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.