O técnico português Jorge Jesus, que treina atualmente o clube 'carioca' Flamengo, está a ser esta segunda-feira condecorado com o título de cidadão honorário da cidade brasileira do Rio de Janeiro. A distinção foi entregue pela câmara municipal do Rio de Janeiro.

Jorge Jesus fez este fim de semana história na Libertadores, prova que nenhum outro treinador português conquistou. Jorge Jesus não só conseguiu arrecadar esta Taça como, no dia a seguir, sem sequer jogar, se sagrou campeão do Brasileirão, após a derrota do Palmeiras na receção ao Grêmio.

Este domingo, os adeptos do Flamengo saíram à rua para festejar a conquista da Libertadores. A equipa dirigida por Jorge Jesus derrotou os argentinos do River Plate nos últimos minutos da 60.ª final do troféu, em Lima, no Peru.

Em pouco mais de quatro meses, Jesus já conquistou o ‘coração’ dos adeptos do clube ‘rubro-negro’, mais do que pelos triunfos, pela forma como a equipa os consegue, pelo atraente futebol que pratica e tem sido traduzido em resultados, com dois troféus à ‘mão de semear’.

Os festejos da vitória do Flamengo na Taça Libertadores de futebol acabaram, no entanto, abruptamente, este domingo, quando adeptos da equipa treinada por Jorge Jesus se envolveram em confrontos com a polícia.

Milhares de adeptos do Flamengo ‘invadiram’ as ruas do Rio de Janeiro, com as suas camisolas ‘rubro-negras’, para receber a equipa que no sábado venceu a Taça Libertadores e, durante horas, os festejos decorreram sem sobressaltos, com os jogadores e o técnico Jorge Jesus a serem saudados efusivamente pela multidão ao desfilarem num autocarro descapotável.

O clima de festa foi abruptamente interrompido cerca das 16:30 locais (mais três horas em Portugal continental), coincidindo com a reta final das celebrações programadas, com as televisões nacionais a transmitirem imagens mostrando uma coluna de fumo branco a sair do desfile, que rapidamente se dispersou pela multidão.

A esse episódio sucederam-se confrontos entre a polícia e os adeptos do ‘Fla’, com pedras, garrafas de cervejas e outros objetos a serem arremessados contra a polícia, que tentava conter o acesso dos ‘torcedores’ para uma área de acesso restrito, delimitada por barreiras.

As forças da autoridade dispararam balas de borracha para dispersar os adeptos, tendo conseguido colocar um ponto final nos distúrbios.

Marcelo pondera condecoração

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, expressou hoje orgulho em Jorge Jesus, por ter vencido, como treinador do Flamengo, a Taça Libertadores da América, e afirmou que está a ponderar condecorá-lo por esse feito.

"O meu impulso imediato era condecorá-lo, mas por muito grande que seja a emoção no exercício do meu mandato tenho de ouvir o Conselho das Ordens e tenho de ponderar se há outros que não foram condecorados e merecem, porque venceram uma taça europeia de relevância continental ou venceram mesmo uma taça intercontinental", declarou o chefe de Estado, em Lisboa.

"Mas que ele merece, de facto, todas as homenagens, isso merece", defendeu Marcelo Rebelo de Sousa, que falava à saída do Espaço Júlia - Resposta Integrada de Apoio à Vítima, que hoje visitou, para assinalar o Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

"Sempre que um português chega mais longe e é excelente ou excecional ou muito bom, em todos os domínios de atividade, nós ficamos orgulhosos, em nome de Portugal", afirmou o Presidente.

O chefe de Estado expressou desta forma orgulho na conquista de Jorge Jesus, ao ser questionado sobre a vitória do Flamengo contra o River Plate, da Argentina, por 2-1, na final da Taça Libertadores, disputada no sábado, em Lima, no Peru.

"E por isso eu lhe mandei um abraço imediatamente, um abraço amigo, porque era o primeiro treinador português a vencer aquela taça", referiu, adiantando: "E ele já me respondeu, naturalmente na onda habitual de Jorge Jesus, a dizer como se sentia muito feliz pela minha lembrança e como tinha Portugal sempre no pensamento".

Marcelo Rebelo de Sousa ressalvou que já tinha havido treinadores portugueses a vencer taças continentais e até intercontinentais, "agora, aquela, especificamente, nenhum tinha conseguido vencer".

Por isso mesmo, interrogado se pondera condecorar Jorge Jesus, respondeu: "Vamos ver".

"Quero ter a certeza de que não há injustiças de tratamento e que outros treinadores portugueses que tenham vencido competições continentais como esta, que não esta, também tenham sido condecorados. Isso vai ser ponderado", justificou.

Sobre Jorge Jesus, Marcelo Rebelo de Sousa descreveu-o como alguém que "tem Portugal sempre no pensamento" e que "é visceralmente um português, até neste pequeno facto, que é no país irmão do Brasil continuar a falar português como se fala em Portugal".

"O próprio Jorge Jesus, ao dedicar a vitória também ao povo português, ao agradecer ao povo português, ao entrar com a bandeira portuguesa, ao recordar a importância de Portugal, disse aquilo que todos nós sentimos", considerou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.