5 etapas, 5 praias, uma a norte (Porto), três ao centro (Ericeira, Figueira e Cascais), uma a sul (Algarve) marcam as 5 etapas do calendário da Liga MEO Surf, temporada 2020, apresentada hoje, em Lisboa.

A principal competição de surf em Portugal que define os títulos máximos de campeões nacionais arranca no próximo dia 27 de março, na Ericeira, em Ribeira D’Ilhas e terminará, a 3 de outubro, em Cascais.

Considerada a melhor prova nacional de surf da Europa, de acordo com um estudo da Remarkable Communication & Image Management que comparou a Liga MEO com os campeonatos em França, Espanha e Reino Unido, no ano em que celebra uma década nestes moldes competitivos (o campeonato nacional vai na 29ª edição), a novidade passa pela paridade de prémios entre surfistas masculinos e femininos e a criação de um prémio só para elas.

A AllianzTriple Crown, competição que envolve as etapas da Ericeira, Figueira e Algarve, distribui 8 mil euros repartidos equitativamente entre o vencedor masculino e a vencedora feminina. Por sua vez, o “Bom Petisco Girls Score” é um prémio só para senhoras e atribui 2,500 euros à melhor pontuação de bateria (heat) ao longo das cinco etapas.

Ainda nos prémios, os municípios de Mafra, Figueira da Foz, Aljezur e Cascais, que representam 4 das 5 etapas, vão premiar os melhores surfistas locais (1,500 euros), masculino e feminino. E não são só as manobras que contam. Os resultados escolares também. Adicionalmente, mantêm-se a luta pela melhor manobra nas Renault Expression Sessions e pela Somersby Onda do Outro Mundo (ambos com 2,500 mil euros), o Santander Award (1,500), e as viagens a bordo da Sumatra Surf Trip para os melhores juniores.

“O Frederico Morais, nasceu, cresceu e saiu daqui, da Liga”

Miguel Blanco, bicampeão nacional, aponta para objetivos altos este ano. “Sem dúvida alguma que o terceiro título é uma prioridade”, atirou. Yolanda Hopkins, campeã no ano passado, único título nacional conquistado na carreira, subiu a parada. “Penso que 2020 vai ser o meu ano, seja na Liga MEO, nos Jogos Olímpicos ou nas provas da WSL (está no Circuito de Qualificação da Liga Mundial). Qualquer campeonato em que eu entre, vou lá estar para ganhar”, sublinhou.

“Quero ganhar os títulos mais que todos. Quero ser campeão nacional. E dar o meu melhor. Vou dedicar-me mais a Liga, vou estar presente em todas as etapas em detrimento do QS (Circuito de Qualificação) onde estive nos últimos 4, 5 anos”, garantiu Tomás Fernandes, vice-campeão nacional, uma vice-liderança que vai no segundo ano consecutivo. Mafalda Lopes, surfista da Caparica, que deixou de ser júnior, antecipou a temporada. “Vou entrar no QS e farei a Liga”. E em relação à prova nacional foi lapidar. “A este nível são todas rivais. O surf feminino está a evoluir muito”, assegurou.

“Fomos considerados os melhores da Europa, mas há que ambicionar a sermos os melhores do mundo. E fomos também o 15º evento com melhor reputação em Portugal, sendo que o primeiro foi o Web Summit”, realçou, Francisco Rodrigues, presidente da Associação Nacional de Surfista (ANS).

“A missão é formar surfistas e dar-lhes palco. O Frederico Morais, nasceu, cresceu e saiu daqui da Liga”, recordou. Mas para além do “projeto desportivo de alto nível”, o presidente da ANS, considera ser muito “gratificante ver que aqui trabalhamos muitos mais domínios como o ambiental, o de responsabilidade social, a educação, e os prémios dedicados às senhoras e aos mais novos”, referiu, durante a apresentação.

No eixo de sustentabilidade e responsabilidade social, para além da integração dos alunos do projeto Wave by Wave (terapia para crianças e jovens em risco através do Surf) na organização, a Fundação Altice terá à sua responsabilidade a limpeza de praias e a Jerónimo Martins fomentará a consciencialização de proteção dos oceanos e hábitos saudáveis.

Altice renova parceria

No ano em que celebra 10 anos debaixo do naming Liga MEO, a Altice Portugal renovou, por mais dois anos, a parceria com a principal competição nacional de surf em Portugal. “Ao longo dos anos, primeiramente com a marca MOCHE e, agora, através do MEO, desde há 20 anos que procuramos contribuir para o crescimento do surf português e do surf em Portugal”, sublinhou João Epifânio, chief Sales Officer/B2C, da Altice Portugal.

A nível televisivo, todas as etapas poderão ser acompanhadas em direto na Sport TV, assim como nos restantes meios oficiais: Facebook e app do MEO.

Calendário da Liga MEO Surf 2020:

1.ª etapa – 27 a 29 de março – Allianz Ericeira Pro
2.ª etapa – 24 a 26 de abril – Renault Porto Pro
3.ª etapa – 29 a 31 de maio – Allianz Figueira Pro
4.ª etapa – 12 a 14 de junho – Allianz Algarve Pro
5.ª etapa – 1 a 3 de outubro – Bom Petisco Cascais Pro

Campeões Nacionais 2015 a 2019

2019 – Miguel Blanco e Yolanda Hopkins
2018 – Miguel Blanco e Camilla Kemp
2017 – Vasco Ribeiro e Carol Henrique
2016 – Pedro Henrique e Carol Henrique
2015 – Vasco Ribeiro e Teresa Bonvalot

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.