O técnico dos ‘dragões’, que hoje fez antevisão da receção aos ‘encarnados’, escusou-se a comentar outras possibilidades que não o triunfo da sua equipa frente ao líder do campeonato.

“Neste momento, o cenário que contemplamos é apenas a vitória. É nisso que temos na cabeça, não temos outro pensamento senão dar o nosso melhor, perante um estádio cheio, para o conseguir”, apontou Nuno Espírito Santo.

O treinador reiterou que a conquista dos três pontos, frente a um adversário direto na luta pelo título, “representa mais uma oportunidade do FC Porto se aproximar de onde quer estar: no topo da tabela classificativa”.

Assim, Nuno Espírito Santo garantiu um plantel “preparado e motivado”, e que trabalhou muito para travar eventuais níveis de ansiedade, sobretudo entre os jogadores menos experientes.

“O grande trabalho da equipa técnica passa por controlar a motivação, para que esta não se transforme em ansiedade e possamos ganhar um jogo que tem um significado especial para todos os portistas”, partilhou o técnico.

O treinador vincou que, na sua opinião, a juventude da equipa “não é um defeito, mas sim uma virtude”, confessando que apesar de “ainda serem notados alguns problemas na finalização”, pretende que a equipa mantenha a mesma postura “irreverente e com talento”.

“A eficácia faz parte do processo de uma equipa e considero que estamos equilibrados e seguros. Mas, também depende das ocasiões que criarmos. Assim que tivermos mais, os golos vão surgir naturalmente, o que nos permitirá matar os jogos em momentos oportunos”, analisou.

O treinador do FC Porto foi ainda confrontando com as eventuais baixas, por lesão, na equipa do Benfica, e apesar de garantir que tem o adversário bem estudado, não quis tecer comentários sobre as possíveis ausências.

“Conhecemos o nosso rival e as suas ausências, mas a forma como vão lidar com isso é o trabalho deles. Olhamos apenas para nós, potenciando a nossa ideia de jogo”, frisou.

Ao longo da conferência de imprensa, o treinador do FC Porto foi repetindo, por diversas vezes, a importância do apoio dos adeptos, recuperando que nos últimos 20 jogos entre as duas equipas, no Porto, o seu clube “venceu mais vezes”.

“Em casa, não temos inimigos, sentimo-nos bem com os nossos adeptos. O Dragão é a nossa inspiração e motivação. E sentimos, com a nossa massa, um forte espírito de união”, desabafou.

O FC Porto, segundo classificado, com 20 pontos, recebe o líder Benfica, que soma 25, numa partida agendada para domingo, às 18:00, que terá arbitragem de Artur Soares Dias, da Associação de Futebol do Porto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.