* Com a fase de qualificação a iniciar-se no ano do título nacional pelo Boavista (2000-2001), a seleção portuguesa é polvilhada por vários jogadores dos axadrezados: Ricardo, Litos, Frechaut, Petit.

* Portugal chega ao Mundial de 2002, realizado na Coreia do Sul e Japão, após uma fase de qualificação imaculada - sete vitórias e três empates. Para a história fica a vitória, fora, categórica frente à Holanda de van Gaal e empate em casa 2-2 - (sendo que nesse mesmo jogo Portugal perdia por 0-2 aos 84 minutos de jogo).

* Depois de o país ter chorado com Rui Costa em 1998, por causa do cartão vermelho mostrado por Marc Batta que nos tirou do Mundial de França, esta é a primeira participação num Mundial da chamada Geração de Ouro.

*Em 2001, nos jogos de qualificação da Oceania para o Mundial de 2002, ocorreu uma nas maiores goleadas em partidas entre seleções. No jogo entre Austrália e Samoa Americana, a vitória australiana foi por 31-0.

*Foi a primeira vez na história que o Campeonato do Mundo teve dois países-sede. A abertura do evento aconteceu em Seul, na Coreia do Sul, e a final foi realizada em Yokohama, no Japão.

*O Japão recebeu apenas mais 30 mil visitantes relativamente aos números habituais noutros anos, durante o campeonato do Mundo de futebol2002. Um número que ficou muito ao lado dos 400 mil visitantes esperados.

*O Mundial2002 ficou marcado pela despedida internacional de alguns nomes sonantes, como Batistuta, o italiano Paolo Maldini, o espanhol Fernando Hierro ou o alemão Oliver Bierhoff.

*Nesse Mundial, aconteceu o golo mais rápido de um Campeonato do Mundo. A Turquia marcou um golo contra a Coreia do Sul aos 11 segundos de jogo. Hakan Sukur, na altura jogador do Parma, foi o autor do tento.

*Pela primeira e única vez um guarda-redes recebe o prémio de Bola de Ouro do torneio, o alemão Oliver Kahn. A Alemanha chegou à final, mas foi derrotada pelo Brasil.

* Pela primeira e única vez na história dos Mundiais houve dois autogolos na mesma partida. No jogo da fase de grupos entre Portugal e Estados Unidos, o português Jorge Costa e o norte-americano Jeff Agoos acertaram nas próprias balizas.

*A França protagonizou a pior campanha de um cabeça de série em Mundiais: não conseguiu marcar qualquer golo e foi eliminada ainda na fase de grupos.

*O treinador sérvio Bora Milutinovic faz o seu quinto e último Mundial, sempre com seleção diferentes: México (1986), Costa Rica (1990), EUA (1994), Nigéria (1998) e China (2002).

*O argentino Caniggia é expulso durante o Argentina-Suécia, da fase de grupos do Mundial, por palavras ao árbitro. É o único jogador do Mundo a ser expulso num Mundial sem ter disputado qualquer minuto.

* A 30 de junho, no último dia do torneio, o Brasil sagra-se pela 5ª vez o vencedor do Campeonato do Mundo de Futebol, ao vencer na final a selecção alemã por 2-0, num jogo realizado no International Stadium Yokohama, na cidade japonesa de Yokohama.

* Ao mesmo tempo que decorria a final do Mundial, na "final alternativa" as seleções do Butão e Montserrat jogavam para fugir ao título de pior do mundo. O jogo entre, na altura, o 202º e o 203º qualificados do ranking da FIFA foi promovido por uma agência holandesa que queria chamar a atenção para a universalidade do futebol.

* Pela segunda vez na história um país sagra-se campeão fora do seu continente, mais uma vez o Brasil depois da conquista do Campeonato do Mundo em 1958.

* Autor de oito golos, entre os quais os dois da final que valeram o “penta”,  Ronaldo foi o melhor marcador do “escrete”. A sua passagem a profissional em 1993 marcou o início de uma carreira ascendente que, em 1996 e 1997, lhe valeu o estatuto de Melhor Jogador do Mundo da FIFA. Um avançado de enorme qualidade técnica. Poder físico, uma velocidade estonteante, mesmo quando executava drible mortais, e o sentido de desmarcação tornaram-no um “inimigo” das defesas contrárias. A rotura do tendão rotuliano da perna direita arredou-o dos relvados entre 1999 e 2000 e muitos deram a sua carreira como terminada. Mas, em 2002 o “Fenómeno” ai estava para durar... e provavelmente preparava-se para ser eleito o melhor jogador da prova.

*O “penta” do Brasil fixou um recorde de títulos e deu um toque clássico a um XVII Campeonato do Mundo de futebol completamente atípico, disputado pela primeira vez por terras asiáticas.

*Cafu tornou-se no jogador com mais finais de Mundiais disputadas, três.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.