O valor desses apoios foi definido com base em critérios como o número de praticantes inscritos em cada organismo, a qualificação profissional dos técnicos ao seu serviço, a quantidade de equipas federadas e o preço praticado para inscrição em cada modalidade.

Além desses 280.000 euros, a autarquia vai disponibilizar apoios logísticos avaliados em 179.000 euros e relativos à cedência de espaços municipais para treino e realização de jogos, acolhimento das sedes dessas coletividades e armazenamento do seu material técnico.

Para o presidente da Câmara Municipal, Jorge Vultos Sequeira, trata-se não apenas de valorizar o número de praticantes em cada coletividade, em particular nas camadas jovens, mas também de "premiar o mérito desportivo" dos atletas locais, reconhecendo "o relevante papel social do desporto" na formação da personalidade e no desenvolvimento da comunidade.

Nesse sentido, o autarca realçou que os valores atribuídos em 2018 representam "uma revisão em alta" dos montantes referentes a cada atleta inscrito em modalidades como "as danças de salão, as artes marciais, o ténis, o ténis de mesa, a ginástica artística, a ginástica de academia e o xadrez".

"Este facto reflete a afirmação que estas modalidades vêm tendo em São João da Madeira, onde outras, têm já grande tradição, como o futebol, o hóquei em patins, a natação, o atletismo, o andebol e o basquetebol", explicou Jorge Vultos Sequeira.

"A diversidade de modalidades praticadas a nível federado pelas nossas associações traduz o ecletismo de São João da Madeira, que é verdadeiramente uma cidade amiga do desporto, com excelentes instalações onde as nossas coletividades demonstram, semana a semana, o seu dinamismo e qualidade ", defendeu.

Entre as 25 coletividades beneficiadas pelos contratos hoje assinados, a que absorve maior parcela dos fundos da câmara é a Associação Desportiva Sanjoanense, que retém mais de 190.000 euros em verbas efetivas e é seguida, a longa distância, pelo Dínamo Sanjoanense, com 12.865 euros.

As instituições com menor apoio financeiro são oito, cada uma das quais recebendo 750 euros: a Associação Desportiva e Recreativa Amigos da Visconde, o Clube de Bilhar de São João da Madeira, o Petertumble - Motorsport Clube de São João da Madeira, a Associação de Atividades Subaquáticas SJM-SUB, o Turbo Clube, o Núcleo de Aveiro da Associação Nacional de Treinadores, o Clube Motorizado O Troço e o Núcleo de Árbitros de Futebol.

Os termos dos referidos contratos também foram revistos, sendo duas as atualizações mais pertinentes decorrentes da lei: A primeira é que todas as coletividades têm que manter uma contabilidade organizada de forma a permitir eventual verificação do destino dado às referidas verbas e que as beneficiadas com 50.000 euros ou mais passam a estar obrigadas a apresentar relatórios certificados por um revisor oficial de contas.

A outra atualização é que os apoios atribuídos serão suspensos se os beneficiários não cumprirem a legislação antidopagem ou forem de alguma forma coniventes com atos de violência, racismo, xenofobia e intolerância.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.