"Faz hoje 38 anos que nasci. Já tinha tomado esta decisão há algum tempo mas decidi que hoje é um belo dia para vos dizer que termino uma bonita história de amor", pode ler-se numa publicação no Instagram.

"Foram 30 anos de carreira, 20 como profissional, onde joguei no Amarante Futebol Clube, Sporting Clube da Covilhã, Gondomar Sport Clube, Portimonense Sporting Clube e Rio Ave Futebol Clube. A carreira de um jogador é apenas uma etapa da vida, daí que novos desafios virão", completou.

"Preparei-me o melhor que pude para assegurar um futuro, que certamente será cheio de mudanças mas também de sonhos para cumprir. Recordarei pessoas com quem partilhei momentos maravilhosos. Obrigado por este lindo percurso. Obrigado à minha família e aos meus amigos", escreveu.

Em julho deste ano, o médio anunciou que não ia continuar no Rio Ave, despromovido à II Liga de portuguesa de futebol, terminando uma ligação de 13 temporadas ao emblema vila-condense.

"Após sete dias do início da época, o presidente do Rio Ave informou-me da decisão de não fazer parte das escolhas para o plantel. Infelizmente não era este o desfecho esperado e que alguma vez imaginei", desabou na altura Tarantini, num comunicado publicado nas redes sociais.

“Ficam as incríveis recordações de alegria que todos juntos celebrámos, na Liga portuguesa, na Liga Europa, na Taça de Portugal, na Taça da Liga e na Supertaça. Foram 444 jogos de muito trabalho, 39 golos, amor e conquistas, que coincidiram com os momentos mais altos da história do Rio Ave. Agradeço a todos os que fizeram comigo esse caminho”, afirmou.

Ricardo José Vaz Alves Monteiro é conhecido pela alcunha Tarantini desde que foi assim batizado por Vírgilio Martins, membro do corpo técnico liderado por João Cavaleiro, nos tempos em que jogava no Sporting da Covilhã.

A alcunha calçava-lhe que nem uma luva devido às parecenças físicas com Alberto César Tarantini, lateral esquerdo campeão do mundo em 1978 com a Argentina, cinco anos antes de Ricardo Monteiro nascer, e foi ficando.

De recordar que Tarantini, o argentino, soube por jornalistas portugueses, em 2019, em entrevista ao jornal A Bola, que o então capitão de um clube português, o Rio Ave, jogava com o seu apelido nas costas. A reação não se fez esperar, com Alberto a afirmar que não lhe "agrada nada saber isso".

Na altura, o Tarantini português mostrou-se surpreendido com a reação da antiga lenda do River Plate e Boca Juniors, afirmando que nunca teve "qualquer intenção de aproveitar o nome".

"É um nome que me acompanha desde os 18 anos, pegou logo, teve relação apenas com parecenças físicas, porque nunca fui lateral esquerdo, nunca foi qualquer associação a uma forma de jogar. Sinceramente nunca investiguei muito da carreira do Alberto Tarantini, fiquei com essa imagem de campeão do mundo pela Argentina. Nunca houve a mínima ideia de copiar ou aproveitar o que quer que fosse da carreira dele", explicou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.