“Na sequência do acompanhamento por parte do SNQTB, o Banco Popular comprometeu-se a abrir um processo de candidaturas voluntárias, conducentes a rescisões de contrato por mútuo acordo (RMA), com condições bastante superiores às estabelecidas na lei”, lê-se no comunicado divulgado na terça-feira pelo sindicato.

“As condições finais a apresentar pelo banco aos seus trabalhadores estão ainda em negociações e o SNQTB está a convocar os seus sócios para plenários a realizar em várias cidades no país nos próximos dias. Nessas reuniões serão prestadas todas as informações que então se encontrem disponíveis”, sublinhou Paulo Marcos, presidente do SNQTB.

O responsável salientou que, no encontro com o SNQTB, “o Banco Popular reafirmou a vontade de continuar em Portugal, agora com uma aposta renovada nas pequenas e médias empresas” e que “o SNQTB continuará a seguir este processo, disponibilizando total apoio aos seus associados do Banco Popular”.

No início da semana passada (7 de novembro), o Banco Popular Portugal anunciou que vai encerrar 47 agências e cortar o quadro de pessoal em 295 trabalhadores até ao final do ano, no âmbito da reestruturação do negócio promovida pelo grupo espanhol.

O início do plenário está agendado para as 17:30 na delegação do Porto do SNQTB.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.