As receitas da transportadora de baixo custo do Dubai caíram mais de 50% em 2020, para 773 milhões de dólares (643 milhões de euros), face ao ano anterior, refere a companhia aérea, em comunicado, lembrando que se tratou de um dos piores anos na história da indústria da aviação.

Em 2019, as receitas da Dubai Aviation Corporation (FlyDubai) tinham ascendido a 1.600 milhões de dólares (1.331 milhões de euros), adianta.

O resultado negativo registado em 2020 reflete o impacto da pandemia de covid-19 na industria da aviação, devido ao encerramento de aeroportos, suspensão de voos, bem como aos prejuízos averbados na ordem de milhares de milhões de euros, além da perda de dezenas de milhares de empregos no setor da aviação.

O número de voos operados em 2020 pela FlyDubai caiu mais de 60%, em resultado da significativa queda no número de passageiros, que recuou para 3,2 milhões, quando comparado com os 9,6 milhões do ano anterior.

Além do impacto da pandemia, a FlyDubai revelou que as suas operações foram igualmente afetadas pela paragem da sua frota de aviões Boeing Max 737 durante quase dois anos.

A FlyDubai opera nos dois aeroportos do Dubai, incluindo o Aeroporto Internacional de Dubai, que é o mais movimentado do mundo ao nível das viagens internacionais.

A companhia aérea de baixo custo FlyDubai tem voos em sistema de ‘code-share’ com a gigante Emirates Airline, embora as duas empresas operem de forma independente.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.