Num jogo de xadrez, em que metade das peças é branca e a outra metade é preta, é normal que se diga muitas vezes "branco", "preto", "ataque" e "ameaça". Um estudo da universidade americana Carnegie Mellon reviu 680 mil comentários em cinco canais de xadrez no YouTube e selecionou mil que tinham sido classificados como discurso de ódio para perceber se tinham sido bem identificados pelo sistema de Inteligência Artificial da plataforma.

Curiosamente, percebeu-se que 82% destes comentários tinham sido incorretamente catalogados por conterem as palavras blackwhiteattack e threat. O problema: os algoritmos do YouTube são falíveis por não terem em conta o contexto, e alguns vídeos ou contas foram banidos da plataforma por serem considerados racistas.

Foi isto que aconteceu a Antonio Radic, criador do canal de xadrez mais popular do mundo (com 1 milhão de subscritores) – o Agdamator – que foi considerado "preconceituoso e perigoso". O criador de conteúdos croata recuperou o seu direito a colocar vídeos no Youtube, depois de 24 horas em que foi avaliada a expressão "preto contra branco". No fim de contas, era só um jogo de tabuleiro.

De acordo com o estudo da Universidade Carnegie Mellon, o sistema de avaliação de comentários do YouTube depende tanto de humanos como de robôs, que podem interpretar mal os comentários se não forem treinados para reconhecer o contexto.

O próprio Youtube admitiu que estava a adotar, de novo, métodos de moderação humanos depois de vários casos em que os métodos de Inteligência Artificial falharam. A plataforma admitiu ao Financial Times que quando esta tarefa passou a ser desempenhada por robôs houve um aumento significativo na remoção de vídeos feita de forma incorreta.

Entre abril e junho do ano passado, foram removidos cerca de 11 milhões de vídeos do Youtube, o dobro da taxa habitual. Isto acontece porque os sistemas de Inteligência Artificial pecam por excesso de zelo, na tentativa de detetar conteúdo prejudicial.

A nova popularidade

O xadrez virou-se para o streaming durante a pandemia da COVID-19 e tem vindo a ganhar popularidade como jogo online. Em maio do ano passado, o The New York Times já tinha feito notar este fenómeno quando noticiou que os maiores mestres de xadrez de todo o mundo já estavam a fazer competições online, depois de os torneios presenciais serem encerrados. Esta nova forma de jogar foi adotada também por muitos amadores. Neste artigo do Digital Trends, pode encontrar algumas das melhores apps para praticar xadrez no seu telemóvel.

Este jogo ganhou ainda especial atenção no mundo da cultura pop depois do sucesso da série "Gambito de Dama", lançada em outubro pela Netflix, tornando-se uma das mais populares da plataforma de sempre em poucas semanas. Conta a história de uma jovem durante os anos 60, que tenta vingar no mundo do xadrez, um mundo dominado por homens.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.

Um artigo do parceiro

The Next Big Idea é um site de inovação e empreendedorismo, com a mais completa base de dados de startups e incubadoras do país. Aqui encontra as histórias e os protagonistas que contam como estamos a mudar o presente e a inventar o que vai ser o futuro. Veja todas as histórias em www.thenextbigidea.pt