A de AVNL Records. A editora independente à qual está associado. Recorde-se que as suas músicas foram lançadas na plataforma SoundCloud e no BandCamp e só em fevereiro deste ano é que passaram a estar disponíveis no Spotify e no iTunes.

B de Busílis ou de Bolos. "E o busílis é / Eu adoro bolos", refrão do tema que dá título ao terceiro álbum de Conan Osiris, "Eu Adoro Bolos" (2017). "[Adoro Bolos] é uma das mais sólidas, sérias e ambiciosas criações musicais nacionais dos últimos anos", escrevia o site Rimas e Batidas, um dos primeiros a escrever sobre o músico, em março de 2018.

C de Contra Natura. O nome da sexshop, a mais antiga do país, onde trabalhou durante seis anos. “[Aqui] tens de ser muito neutro e profissional. As pessoas nem sempre estão à vontade, tens de dar um édredon de neutralidade a uma coisa que às vezes é vista com vergonha”, contou à Time Out em 2018, sobre o seu "day job".

D de Deslandes, Carolina. Foram muitos os músicos portugueses que nos dias seguintes ao Festival da Canção publicaram mensagens de apoio a Conan Osiris. A de Carolina Deslandes foi uma das mais partilhadas. "É preciso muita coragem para seguires a tua verdade é arriscares-te a ser incompreendido, é preciso teres muita coragem para não te renderes as regras que ditam aquilo que uma canção deve ter. É preciso ter ‘balls’ para vir abanar o sistema e trazer algo completamente novo", escreveu nas suas redes.

E de Extraterrestre. "Um extraterrestre muito cá da terra", assim lhe chamou Mário Lopes num texto que assinou no jornal Público a 2 de março de 2018. "Parece inevitável: 2018 será o ano em que descobrimos Conan Osiris", escrevia também o jornalista. 2019 foi certamente.

F de Festival da Canção. Conan Osiris foi apresentado como um dos compositores do Festival da Canção a 5 dezembro do ano passado. Em janeiro a RTP revelou que seria o artista a dar corpo e voz a um tema seu. “Vocês vão mudar o mundo, não eu. Vocês vão educar, tratar, explicar, acolher, podar, plantar, não eu. Vocês vão restaurar, restabelecer, clarificar, apaziguar, relevar, relativizar e respeitar, não eu. Eu só vim cá dizer obrigado. Eu só vim cá deixar um abraço. E um gelado". A mensagem que deixou na sua conta de Instagram depois da primeira semifinal do Festival da Canção, a 16 de fevereiro. Osiris teve a pontuação máxima do público, 12 pontos.

G de Gafanha do Carmo. Dos muitos memes e vídeos humorísticos que satirizaram "Telemóveis", o dos utentes do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo destacou-se. Publicada no Facebook, a paródia deu uma nova interpretação ao tema: “Tentei dançar, Conan / e parti-me toda / Tentei dançar, Conan/ e esbardalhei-me toda/ escangalhei-me toda…”.

H de Hayao Miyazaki.  O nome artístico foi buscá-lo à série de anime japonesa "Conan, o Rapaz do Futuro", de Hayao Miyazaki, e acrescentou-lhe o deus egípcio Osíris. A sua biografia oficial conta que nasceu no mesmo dia do realizador de cinema de animação, a 5 de janeiro.

I de influências. E são várias. Do kuduro ao fado, do funaná à música techno, do Médio Oriente a Bollywood, da MTV ao Big Brother.

J de João Reis Moreira, o inseparável companheiro de palco de Conan Osiris. "Têm a mania de que o Conan Osiris é polémico, para mim é normal", disse o bailarino de 23 anos ao Jornal de Notícias numa das poucas entrevistas suas.

K de Kevin. "A mãe do Kevin [de Sozinho em Casa] a ir para o aeroporto, vestida à pressa". Foi desta forma que descreveu o seu estilo à SÁBADO em abril de 2018. Mais recentemente, ao Observador, disse que “tanto posso ir ao clássico como a algo abstrato. Sou bastante aberto a abordagens desde que respeitem a minha noção de equilíbrio”.

L de letra. Pela Internet surgiram algumas hipóteses sobre o que poderia versar a letra de "Telemóveis". A mais consensual é a de que fala sobre o pai, que faleceu quando tinha oito anos, e que tinha um passado de consumo de estupefacientes. No programa da Cidade FM "Quem Mandou Falar?" não quis falar sobre a letra. “Eu curto que o pessoal chegue lá sozinho. É a mesma merda do que estar a explicar piadas. Tu não explicas uma piada, lanças só. Quem apanhou, apanhou. Quem não apanhou está no ar”.

M de "Música Normal”, o seu segundo álbum (2016).

N de NOS. Fez parte da campanha publicitária "A Minha Casinha é GiGa", que levou vários músicos portugueses conhecidos a fazerem as próprias versões da canção “A Minha Casinha”, escrita originalmente por João Silva Tavares e António Melo e popularizada mais tarde pelos Xutos & Pontapés.

O de Osiris Gold Mask. O artefacto dourado que usou na primeira semifinal do Festival da Canção e que foi alvo de alguns memes nas redes sociais foi pensado por si e elaborado pela amiga e joalheira Adriana Ribeiro.

P de PSP. Até a Polícia de Segurança Pública brincou com a música de Conan Osiris. Na sua página oficial de Facebook, a PSP publicou uma imagem com o texto: "Partir o telemóvel? Pode acontecer...".  A força de segurança pretendia apelar à condução sem utilização de aparelhos eletrónicos. "Mas mais grave ainda" é que "pode pôr em risco a sua vida/integridade física ou de terceiros", lê-se na mesma publicação.

Q de Quem? Conan Osíris é o nome artístico de Tiago Miranda. Com 30 anos, nasceu em Lisboa mas viveu parte da sua juventude no Cacém. É compositor e também produtor das suas canções. Estudou Design Gráfico em Castelo Branco. "Foi por acidente. Nem sabia bem a diferença entres Artes Plásticas e Design... Acabou por não ser bem a minha cena, mas deixei-me ficar porque curtia o sítio e os amigos", explicou à SÁBADO em abril de 2018.

R de Rúben Osório. Amigo dos tempos de escola, é o stylist de Conan Osiris.

S de “Silk”, o seu primeiro registo discográfico.

T de Telavive. Ao vencer a edição deste ano do Festival RTP da Canção, Conan Osiris será o representante de Portugal na Eurovisão que este ano se realiza em Telavive, Israel.

U de 'um respeito'.  Em novembro de 2018 Conan Osiris dizia ao Rimas e Batidas como ficava orgulhoso quando tinha bom feedback de quem ouve a sua música, especialmente de quem à partida podia não identificar-se. "Quando veem cotas, crianças, pessoal que podia ter mais dificuldade em ouvir as minhas cenas pela primeira vez, e, de abuso, curtem… Isso mata-me. Fico mesmo bué lisonjeado e bué emotivo. (...) Eu posso morrer, se cotas estão mesmo assim, a dar um respeito, isso mata-me." O que dirá, hoje, do sucesso de "Telemóveis"?

V de Variações. Conan Osiris tem sido comparado a António Variações. Recentemente, no programa de Cristina Ferreira, na SIC, reagiu a essas comparações. “Não me comparem tanto porque os fãs dele podem não achar muita piada. Somos pessoas singulares e hoje em dia isso já está a ficar tão cansado (...). O António Variações não fazia os álbuns dele completamente sozinho, não compunha, não escrevia música. Eu faço isso tudo, então vamos diferenciar”.

W de Wiwibloggs. William Lee Adams e Deban Aderemi, dois dos analistas do Wiwibloggs, o maior site independente especializado na Eurovisão, fizeram um vídeo em que comentam o tema "Telemóveis". Os dois elogiam o conceito e a estética do tema. "É uma aposta arriscada, mas acho que é um risco que Portugal deveria correr", comenta Deban Aderemi.

X de xeque-mate. Com 24 pontos e com o júri regional e o televoto rendido a "Telemóveis", Conan Osiris venceu a grande final que teve lugar a 2 de março na Portimão Arena.

Y de YouTube. O tema de apresentação de "Telemóveis" conta já com mais de dois milhões de visualizações no YouTube; o da atuação tem pouco mais de um milhão. Entre os temas a concurso no Festival da Canção, o de Conan Osiris é, de longe, o mais visto.

Z de Zé dos Bois. A Galeria Zé dois Bois, sala de espetáculos no Bairro Alto, em Lisboa, foi o palco, a 2 de março de 2018, do primeiro concerto de sempre de Conan Osiris. Esgotadíssimo!

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.