Durante a gala, que marcou a noite de sábado, o comediante e anfitrião James Cordon recordou que todos os anos a Academia Nacional de Artes de Gravação distingue o Melhor Álbum Falado. Para 2019, o apresentador lança um palpite: “Nós sabemos que o nosso atual presidente adora receber prémios e a boa notícia é que ele pode ser o tema do vencedor do próximo ano. A pergunta que eu faço é: quem será o narrador?”.

É com esta passagem que Cordon abre, satiricamente, as audições para a leitura do livro “Fire and Fury”. Entre os candidatos a narrador vemos John Legend, Cardi B, DJ KHALED e… Hillary Clinton.

"Ele [Trump] tinha um medo recorrente de ser envenenado. Esta era uma das razões pelas quais gostava de comer no McDonalds. Ninguém sabia quando ele iria aparecer e a comida já estava preparada com segurança". Foi este o excerto que Clinton “dramatizou” no sketch e que lhe valeu o prémio.

“Trump não lê nada. Ele levanta-se a meio das reuniões com os líderes mundiais porque está aborrecido”, lê também John Legend no “sketch”. “Se Trump não está a jantar com Steve Bannon às 18h30 então ele prefere estar na cama com um cheeseburger”, dramatiza a artista Cardi B antes colocar uma questão retórica que de retórico tinha pouco. “Porque é que estou a ler esta porcaria? (Why am I reading this shit)”.

Wolff e Trump estão um para o outro como o fogo e a fúria
Wolff e Trump estão um para o outro como o fogo e a fúria
Ver artigo

Há muito que as galas norte-americanas se deixaram de restringir ao tema que as cria. Por exemplo, à parte do cinema, os Globos de Ouro foram palco para movimentos contra o assédio sexual (“Me too” e “Time’s Up”). Também os Grammys Award seguiram esta tendência. Ainda que o momento humorístico e altamente politizado tenha provocado risos e aplausos na plateia, há quem tenha ficado descontente com a surpresa.

Nikki Hayley, embaixadora norte-americana das Nações Unidas, recorre ao Twitter para criticar a “surpresa” da noite: “Sempre gostei dos Grammys, mas haver artistas a lerem o “Fire and Fury” arruinou a cerimónia. Não arruínem ótima música com lixo. Alguns de nós adoram música e não gostamos que se misture política nela”.

Donald Trump Jr, filho do presidente norte-americano, também mostra o seu desagrado com o “sketch” humorístico: “Ler excertos de um livro de notícias falsas nos Grammys parece ser um bom prémio de consolação para quem perdeu a presidência”.

Donald Trump Jr volta a reiterar a crítica a Clinton, que concorreu contra Donald Trump nas últimas eleições presidenciais norte-americanas. "Quanto mais Hillary aparece na televisão, mais os americanos se apercebem de quão fantástico é ter Donald Trump no poder”.

O livro “Fire and Fury” de Michael Wolff foi publicado a 5 de Janeiro e já vendeu cerca de 1,7 milhões de cópias. Tal como o SAPO24 reportou na altura do lançamento, o livro traz à esfera pública um conjunto de relatos sobre combates internos e sobre o caos organizacional no coração da presidência dos EUA.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.