À hora de fecho da bolsa espanhola as ações da Prisa acumulavam uma queda de 16,46%, apresentando uma cotação de 1,0560 euros.

A Prisa era, depois da Pharma Mar (-16,84%), a empresa mais penalizada do mercado de Madrid, que recuou 0,24%.

Em 29 de janeiro último, os acionistas do maior conglomerado espanhol de empresas de comunicação social aprovaram a venda da portuguesa Media Capital à Cofina, operação pela qual a empresa espanhola receberia 123,9 milhões de euros.

No mesmo mês, a Prisa assinou um contrato com a Cofina para a venda de 100% das ações da Prisa Vertix, que envolveu a transferência indireta de 94,69% do capital social da Media Capital, que inclui o canal de televisão TVI e várias emissoras de rádio como a Radio Comercial e a M80, entre outras empresas.

A Cofina tinha até 10 de março para completar o aumento de capital para financiar a oferta pública de aquisição lançada sobre a Media Capital.

O grupo espanhol Prisa, dono da Media Capital, anunciou hoje que vai desencadear contra a Cofina “todas as ações” previstas no acordo de venda da TVI ao grupo de Paulo Fernandes que desistiu do negócio.

Num comunicado divulgado hoje a meio do dia depois de a Cofina comunicar ao mercado ter desistido de comprar a dona da TVI, a Prisa anunciou que vai desencadear contra a Cofina “todas as ações” previstas no acordo de venda da TVI ao grupo de Paulo Fernandes que desistiu do negócio.

Segundo sustenta a Prisa, “a concretização do acordo de compra e venda estava apenas pendente da condição prévia de inscrição na Conservatória de Registo Comercial do aumento de capital aprovado pela Cofina para financiar parcialmente o negócio”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.