O imóvel, propriedade privada e situado no centro da vila transmontana, é conhecido pela ligação à produção de azeitona e encontra-se em adiantado estado de degradação, apesar de vários executivos camarários terem anteriormente tentado a sua aquisição pelo interesse patrimonial devido à sua história.

“Chegou-se finalmente a um acordo com o proprietário do edifício” e, segundo o vice-presidente, Eduardo Tavares, o município assinou, na semana passada, a escritura de transferência de propriedade com o propósito de converter o imóvel “num espaço dedicado à gastronomia e à promoção dos produtos locais”.

A requalificação do edifício vai ser candidatada ao PROVERE (Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos) como um dos projetos âncora da Rota da Terra Quente, prevendo-se um investimento de mais de 600 mil euros, como esclareceu.

O edifício foi administrado pelos marqueses de Távora, durante o Antigo Regime, e tinha a função de recolher toda a azeitona produzida nos olivais do concelho que fossem direito do Rei.

No seu interior ainda se conservam os antigos engenhos de produção de azeite que passarão a fazer parte do espólio museológico da autarquia.

A reconversão do imóvel, garante o município, “preservará a memória histórica” do mesmo “possuindo, ao mesmo tempo, uma vertente ligada à promoção gastronómica do concelho e dos produtos locais”.

A temática faz parte da estratégia turística do concelho, que ambiciona torna-se num “destino gastronómico”, com o projeto “Alfândega da Fé à Mesa”, que será apresentado publicamente, na terça-feira à tarde, no auditório da Biblioteca Municipal.

A autarquia quer congregar os restaurantes do concelho neste projeto que aposta nos sabores locais com ementas em que são obrigatórios pratos como “o cabrito, o borrego, as Sopas das Segadas, os enchidos e os azeites de Alfândega da Fé”.

Os menus terão opções vegetarianas e a colaboração do chefe de cozinha Marco Gomes, natural deste concelho transmontano, que acompanhará o projeto, em que está prevista também formação para os aderentes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.