Segundo disseram fontes policiais, citadas pela agência espanhola Efe, os migrantes começaram a chegar à costa de Ceuta ao meio-dia, estimando-se que até às 20:00 cerca de 80 pessoas tenham sido resgatadas do mar ou chegado à praia a nado.

Tratam-se na sua maioria de jovens marroquinos que saltam para a água nas proximidades do posto fronteiriço e que conseguem contornar em pouco tempo a curta distância que separa a costa marroquina de Ceuta.

Os migrantes estão a lançar-se ao mar da costa de Castillejos, a primeira vila marroquina perto da fronteira, no que foi considerado pela Guarda Civil como uma “verdadeira enchente”.

Normalmente são registados pequenos grupos, mas hoje a pressão constante forçou a Guarda Civil a adotar um dispositivo especial na área para resgatar estas pessoas.

Fontes policiais disseram à Efe que, entre os migrantes, foram resgatados menores de 12 ou 13 anos que ousaram desafiar o mau tempo para entrar em Ceuta.

Muitos estão a conseguir chegar à costa de Ceuta, mas outros tiveram de ser resgatados do mar por uma lancha patrulha da Guarda Civil devido à dificuldade em continuar a travessia.

Membros da Cruz Vermelha deslocaram-se para aquela área para se certificarem que os migrantes estão em boas condições.

Os migrantes foram transportados em duas viaturas da Cruz Vermelha para um armazém industrial perto da fronteira, para cumprirem a quarentena de covid-19.

Pelo menos 25 foram transferidos para as instalações da Guarda Civil na marina de Ceuta, após terem sido resgatados do mar.

Fontes policiais referiram que os marroquinos estão a entrar na água do lado marroquino sem qualquer tipo de controlo.

Em todos os casos, os migrantes recebem agasalhos e cobertores quando chegam à cidade, quase todos usando fatos de neoprene para se protegerem da baixa temperatura do mar.

Um outro grupo de cerca de 60 migrantes tentou saltar a vedação que separa a cidade espanhola de Melilla de Marrocos, em plena luz do dia, embora nenhum tenha conseguido atingir o objetivo, devido à rápido atuação da polícia em ambos os lados da fronteira.

Fontes da delegação regional do Governo espanhol em Melilla informaram que, por volta das 20:20, o comando da Guarda Civil notou a presença de um grupo de cerca de 60 migrantes que, oriundos de território marroquino, se aproximava do perímetro fronteiriço.

Por esse motivo, o protocolo anti-intrusão foi ativado e, com a colaboração da polícia local, foi cortado o acesso viário situado perto da vedação.

A ação rápida das forças de segurança marroquinas permitiu abortar o “salto” antes que os migrantes alcançassem a vedação, segundo a delegação regional do Governo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.