“Estamos a tentar que sejam levadas para a zona de queimado do incêndio que aconteceu há uma semana”, explicou o autarca, mostrando-se otimista relativamente à resolução da situação.

Segundo João Azevedo, trata-se de “uma grande extensão que faz um paralelo com o Rio Mondego”.

O autarca sublinhou que houve “um grande reforço de meios aéreos” durante a tarde, encontrando-se sete no teatro de operações.

De momento, “não há povoações em risco”, acrescentou.

Este incêndio teve início perto do meio-dia de quarta-feira, em Abrunhosa do Mato, na freguesia de Cunha Baixa.

Às 20:00 de hoje, segundo a página na Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil, este fogo encontrava-se com três frentes ativas. No terreno estavam 288 operacionais, apoiados por 85 viaturas e sete meios aéreos.

Ao final da tarde de quarta-feira, de acordo com João Azevedo, o incêndio aproximou-se de alguns aglomerados habitacionais em Póvoa de Cervães.

Nessa altura, o autarca aproveitou para deixar um apelo à população do concelho, solicitando-lhe que esteja atenta, já que não considera normal que surjam tantos incêndios em pouco tempo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.