Avança o Jornal Público esta segunda-feira, 27 de abril, que o Governo já tem datas em mente para a reabertura gradual da economia e da sociedade.

Assim, o pequeno comércio deverá abrir portas a 4 de maio, as aulas presenciais do 11º e 12º anos regressam a 18 de maio e as creches retomam a atividade a 1 de junho.

Esta é a estratégia que será colocada em marcha caso haja permissão por parte dos especialistas técnicos da Direção-Geral da Saúde, cujas conclusões sobre o evoluir da pandemia serão apresentadas amanhã, em reunião no Infarmed.

O Governo já tinha anunciado que informará o país no próximo dia 30 sobre o plano de reabertura da economia.

Segundo o Jornal Público, na estratégia do Governo estão ainda previstas medidas e orientações de contenção para pessoas mais velhas e para pessoas que integrem grupos de risco, nomeadamente portadores de doenças cardíacas e vasculares, doenças oncológicas e crónicas, como diabetes e asma.

Há três linhas de atuação essenciais para o Governo nesta reabertura, sendo elas: um plano de reabertura progressivo e monitorizado para que a propagação do vírus não dispare; a monitorização atenta dos lares e a garantia de que há material de proteção suficiente disponível no mercado, nomeadamente máscaras e luvas.

O distanciamento social e a proteção pessoal vão ditar o regresso à circulação, isto é o regresso ao trabalho e à escola, cujas diretrizes serão estabelecidas pela Direção-Geral da Saúde a 4 de maio e largamente difundidas em campanhas nacionais.

A par, o Governo pretende continuar a reforçar a capacidade do Serviço Nacional de Saúde, preparando-se assim para a eventualidade de uma segunda onda da pandemia.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.